Dólar Americano/Real Brasileiro compra R$ 5,0437 venda R$ 5,0469 máxima 5,0453
Euro/Real Brasileiro compra R$ 6,113 venda R$ 6,1189 máxima 6,1194
15 Jun - 22h41
terça, 15 de junho de 2021
VALE - 500MIL HECT RECUP - Super B - 11 à 26/06
LIDER - MODA - 06,15 E 24/06 - MOB
ZONA DE TENSÃO

Ataques armados a indígenas contrários à mineração ilegal podem se repetir no Pará, alerta MPF

13 Mai 2021 - 14h47Atualizado 13 Mai 2021 - 16h04
Ataques armados a indígenas contrários à mineração ilegal podem se repetir no Pará, alerta MPF - Crédito: Divulgação/ Mobilização Nacional Indígena Crédito: Divulgação/ Mobilização Nacional Indígena

O Ministério Público Federal (MPF) decidiu na terça-feira, 11, solicitar a órgãos públicos a tomada de medidas para evitar que evento programado para ser iniciado neste sábado em Jacareacanga, no Pará, resulte em violência contra indígenas Munduruku contrários à mineração. Além de citar uma série de ataques e ameaças que levaram a unidade do MPF no Pará a solicitar que o procurador-geral da República (PGR) peça intervenção federal na região, nos ofícios o MPF alerta que a presença de pessoas armadas no grupo pró-garimpo pode fazer com que os indígenas anti mineração virem alvo de disparos, como ocorreu na segunda-feira com os Yanomami, em Roraima, segundo relatos da Hutukara Associação Yanomami.

O MPF requisitou ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, à Força Nacional de Segurança e à Polícia Federal que aloquem forças policiais em estado de prontidão para debelar possíveis conflitos armados dentro da Terra Indígena Munduruku, na aldeia Missão São Francisco. Também foi requisitado que, caso ocorram atos de violência no evento organizado pela associação Pusuru, da minoria Munduruku aliciada por garimpeiros, as forças policiais efetuem prisões em flagrante dos responsáveis.

Aos órgãos que receberam convite da associação Pusuru para comparecimento ao evento, o MPF recomendou que ponderem sobre a real necessidade de participarem desse e de outros encontros em que seja discutida também a liberação da mineração dentro do território indígena, considerando que nessas discussões tem sido verificada a presença de pessoas armadas e a possibilidade de conflitos, sobretudo porque o evento que começa neste sábado e vai até a próxima quarta-feira está sendo realizado em total discordância com a posição política dos caciques e lideranças locais Munduruku.

Assembleia geral desrespeitada – Como um dos objetivos do evento organizado pela associação Pusuru – chamado pela associação de assembleia – é autorizar a mineração ilegal em território Munduruku, mesmo que essa proposta tenha sido rejeitada em assembleia geral realizada pelos Munduruku em abril, com 72 caciques e mais de 500 indígenas, representando 140 aldeias, à Funai o MPF solicitou explicações sobre a atuação da autarquia, após ter recebido informações de que a coordenação local do órgão teria dado suporte à Pusuru, além de ter confirmado presença no evento. O MPF registra que a atuação da Funai contrária à autorização dos caciques e em um cenário de iminente violência pode acarretar responsabilização penal, civil e administrativa dos envolvidos.

Violência em série 

Na segunda-feira, 10, em Jacareacanga, o cacique Fernando Kaba Munduruku foi atacado a pauladas por um garimpeiro, conforme o advogado do indígena registrou em boletim de ocorrência. O ataque foi o mais recente de uma série. Segundo nota técnica do Comitê Nacional em Defesa dos Territórios Frente à Mineração publicada na Semana dos Povos Indígenas deste ano, os Munduruku vêm denunciando ao poder público as invasões às suas terras desde 1987.

Nos últimos três anos o problema vem se intensificando, e em março foi identificada a chegada de maquinário pesado, grupo armado e helicóptero suspeito de escoltar os criminosos, que estão avançando em direção a bacias hidrográficas fundamentais para a garantia da vida indígena, como a bacia do rio Cururu.

Também em março, na zona urbana de Jacareacanga, o grupo pró-garimpo depredou o prédio da Associação das Mulheres Munduruku Wakobor?n. Foram destruídos documentos, móveis e equipamentos, além de produtos indígenas à venda no local. A violência foi uma tentativa de silenciar as mulheres Munduruku, contrárias à mineração ilegal em terras indígenas. O escritório vandalizado é de uso coletivo com outras organizações indígenas antigarimpo.

Em abril o grupo de garimpeiros e representantes da minoria Munduruku aliciada por garimpeiros impediu que uma viatura do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) entrasse em Jacareacanga. A viatura fazia fiscalização contra a mineração ilegal em floresta nacional e área de preservação ambiental na região.

Ainda em abril, novamente na zona urbana de Jacareacanga, por duas vezes o grupo pró-garimpo roubou itens pertencentes à Associação das Mulheres Munduruku Wakobor?n, conforme as indígenas relataram ao MPF. No dia 18 foram roubados mais de 830 litros de combustível e um tanque de motor de barco. Apesar de no dia anterior o MPF ter divulgado que os roubos poderiam voltar a ocorrer, no dia 21 o grupo pró-garimpo roubou um motor de barco das mulheres indígenas.

O MPF abriu investigações sobre esses ataques dos garimpeiros. Apesar de esses ataques ocorreram há alguns anos, “os últimos dias representaram inequívoca ruptura da dinâmica desafortunadamente estabelecida, o que revela inclusive a pretensão de instituição de ilegítimo Estado paralelo tomado por um grupo de pessoas caracterizado originalmente pela prática de crimes ambientais e, agora, por crimes de natureza profusa e diversa”, diz o ofício enviado pela unidade do MPF no Pará ao PGR em abril, com solicitação de que o Supremo Tribunal Federal (STF) seja acionado para declarar a violação de direitos humanos e requisitar a intervenção federal no estado para o estrito fim de garantir o provimento da segurança pública na região de Jacareacanga.

 

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 98469-4559ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

Sefa apreende cargas de cerveja, refrigerante e pneus em Santarém
FISCALIZAÇÃO

Sefa apreende cargas de cerveja, refrigerante e pneus em Santarém

há 37 minutos atrás
Sefa apreende cargas de cerveja, refrigerante e pneus em Santarém
Justiça ordena que governo federal proteja indígenas Munduruku vítimas de garimpeiros no Pará
EM ITAITUBA

Justiça ordena que governo federal proteja indígenas Munduruku vítimas de garimpeiros no Pará

15/06/2021 21:32
Justiça ordena que governo federal proteja indígenas Munduruku vítimas de garimpeiros no Pará
Réu de 19 anos é absolvido de crime de homicídio após júri acatar tese de legítima defesa
EM ÓBIDOS

Réu de 19 anos é absolvido de crime de homicídio após júri acatar tese de legítima defesa

15/06/2021 19:28
Réu de 19 anos é absolvido de crime de homicídio após júri acatar tese de legítima defesa
Mais de 30 mil candidatos fazem prova pra delegado da PC neste domingo no Pará
CONCURSO

Mais de 30 mil candidatos fazem prova pra delegado da PC neste domingo no Pará

15/06/2021 19:09
Mais de 30 mil candidatos fazem prova pra delegado da PC neste domingo no Pará
Confira um resumo das principais notícias desta terça-feira
FIQUE BEM INFORMADO!

Confira um resumo das principais notícias desta terça-feira

15/06/2021 19:00
Confira um resumo das principais notícias desta terça-feira
Últimas Notícias