Ex-sargento da PM acusado de matar mulher é condenado a 72 anos de prisão no Pará

O ex-sargento da PM Gildson Soares, foi condenado a 72 anos de reclusão por matar em 2018, no bairro Santarenzinho, em Santarém, no Pará, uma mulher de 40 anos. O crime teria sido motivado por disputa de terrenos na invasão do Juá. O ex-militar também foi condenado por cinco tentativas de homicídios dos ocupantes que...

Publicado em 26 de junho de 2024 às 13:31

O ex-sargento da PM Gildson Soares, foi condenado a 72 anos de reclusão por matar em 2018, no bairro Santarenzinho, em Santarém, no Pará, uma mulher de 40 anos. O crime teria sido motivado por disputa de terrenos na invasão do Juá. O ex-militar também foi condenado por cinco tentativas de homicídios dos ocupantes que estavam com a mulher em um carro, no dia do crime.

A condenação do ex-militar foi decretada na última terça-feira, 19, e na ocasião, a defesa de Gildson alegou que ele agiu em legítima defesa, porém, os integrantes do Júri Popular não acolheram a tese e decidiram pela condenação do réu. Ele deve cumprir pena em regime fechado e não pode recorrer em liberdade. A sessão de Júri Popular foi uma das mais longas dos últimos anos, durando aproximadamente 24 horas.

Segundo o que consta nos autos do processo, no dia 28 de junho de 2018, por volta das 15h30h, o acusado perseguiu o veículo onde estavam as vítimas e efetuou diversos disparos. O crime aconteceu na avenida Angelim, com a rua Cedro. No interior do veículo estavam Sônia, o marido dela, um amigo e filhos do casal.

Sônia que estava no banco de trás do carro foi atingida por dois disparos nas costas e morreu ainda no local. Já Gabriel foi atingido por 3 disparos, sofrendo lesões na cabeça e nas costas. A vítima Glenda, adolescente de apenas 14 anos à época, foi atingida com 2 disparos, sendo 1 na região do braço esquerdo e 1 na região das costas, e Lucas foi atingido com 1 tiro na região próxima à cintura.