'Mago das Unhas' diz que não se arrepende de ter divulgado jogo do Tigrinho após sair da prisão em Belém

O influenciador Gleison Pereira, mais conhecido como “Mago das Unhas”, disse que não se arrepende de ter entrado para a plataforma e divulgado o jogo do “Tigrinho”, após ter saído da prisão na tarde da última terça-feira, 19. O investigado da operação “Truque de Mestre” deu a...

Publicado em 26 de junho de 2024 às 13:31

O influenciador Gleison Pereira, mais conhecido como 'Mago das Unhas', disse que não se arrepende de ter entrado para a plataforma e divulgado o jogo do 'Tigrinho', após ter saído da prisão na tarde da última terça-feira, 19. O investigado da operação 'Truque de Mestre' deu a declaração para jornalistas que aguardavam a saída dele do Centro de Triagem da Susipe, no bairro da Marambaia, em Belém.

Ao ser questionado por uma repórter de uma TV local, Gleiso afirmou que não se arrepende de ter entrado para a plataforma e feito a divulgação do jogo de azar. Ele foi perguntado se faria tudo de novo caso voltasse no tempo e disse que hoje já tem um pensamento diferente.

'No tempo, sim, mas a partir de hoje eu já tenho outros investimentos, eu tenho outras empresas, eu tenho outras formas de ganhar dinheiro também, então tá tudo certo', disse Mago das Unhas.

O influenciador foi questionado se em algum momento ele tinha conhecimento de que divulgar o 'jogo do Tigrinho' poderia ser crime. Em resposta, Mago das Unhas disse que há projetos de lei que podem proibir os jogos e outros que podem aprovar, diante disso, ele e os outros influenciadores, usavam a situação como justificativa para divulgar os jogos.

Mago das Unhas disse ainda que divulgava os jogos há 7 meses e que até conhece os outros influenciadores que também divulgavam o 'jogo do Tigrinho', no entanto, não possuía tanto contato.

O influenciador chegou a usar um filtro de tigre semanas antes de ser preso, e gravou um vídeo rindo, debochando e fazendo comentários sobre a operação.

Investigação

Os influenciadores paraenses alvos da operação da Polícia Civil do Pará contra o ‘Jogo do Tigrinho’, na Grande Belém, movimentaram milhões de reais. Segundo o delegado-geral da PCPA, Walter Resende, o valor estimado é de mais de R$ 50 milhões.

A operação ‘Truque de Mestre’ cumpriu 12 mandados de prisão temporária e 13 mandados de busca e apreensão, na manhã desta segunda-feira, 18, contra pessoas investigadas por divulgar jogos de azar nas redes sociais.

Saiba mais sobre o caso: