Polícia prende segundo suspeito de participação na morte de professor de escola em Ananindeua

A divisão de homicídios da Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira, 03, o segundo suspeito envolvido no assassinato do professor Omar de Araújo Linhares, 63 anos, proprietário e diretor do Centro Educacional Reverendo João Batista, estabelecimento onde a vítima foi encontrada morta. O crime teria ocorrido no dia 15...

Publicado em 26 de junho de 2024 às 09:23

A divisão de homicídios da Polícia Civil prendeu nesta segunda-feira, 03, o segundo suspeito envolvido no assassinato do professor Omar de Araújo Linhares, 63 anos, proprietário e diretor do Centro Educacional Reverendo João Batista, estabelecimento onde a vítima foi encontrada morta. O crime teria ocorrido no dia 15 de fevereiro, no bairro do Coqueiro.

A prisão temporária do suspeito Identificado como Thiago Barboza da Silva, conhecido como 'Thiaguinho', foi decretada pela justiça e o suspeito foi preso durante a segunda fase da 'Operação Thanatos', deflagrada para investigar a morte do diretor. Conforme a polícia, o Thiago é investigado por coautoria intelectual do crime de latrocínio.

Outro suspeito que também já está preso foi identificado como Jessé costa Ferreira, detido em 20 de março. Durante a investigação da polícia, foi desvendado que o latrocínio teve a coautoria de um segundo suspeito, no caso, identificado como Thiago Barbosa.

A participação de Thiago no crime

 Segundo a Polícia Civil, Thiago foi quem planejou o assalto sendo piloto da moto. Ele levantou a rotina do professor e atuou como piloto da moto, levando o comparsa Jessé até o local do crime.

Durante o interrogatório realizado pela polícia, Thiago confirmou que conhecia o professor Omar, e atuava na captação de novo alunos para a escola da vítima. Ele também revelou que conhece Jesse, que confessou, em depoimento, detalhes de como ocorreu a dinâmica do latrocínio.

A camisa usada por Jessé no dia do crime, também foi apreendida pela polícia. Ele aparece em imagens captadas próximo do local do crime.

. Crédito: Camisa usada por Jessé no dia do latrocínio. Imagem: Divulgação/Polícia Civil

Agora, Thiago Barboza será encaminhado para uma unidade do sistema penitenciário, onde ficará à disposição da Justiça.