Preço do pescado apresenta queda pelo quinto mês consecutivo em Belém; vejas as espécies

A maioria do pescado comercializado nos mercados municipais de Belém apresentou recuo de preços no mês de agosto. Segundo dados da Secretaria Municipal de Economia (Secon) e Departamento Intersindical de Pesquisa e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA), esta é a quinta baixa de valor consequencial, desde o mês de abril...

Publicado em 26 de junho de 2024 às 12:13

A maioria do pescado comercializado nos mercados municipais de Belém apresentou recuo de preços no mês de agosto. Segundo dados da Secretaria Municipal de Economia (Secon) e Departamento Intersindical de Pesquisa e Estudos Socioeconômicos (Dieese-PA), esta é a quinta baixa de valor consequencial, desde o mês de abril de 2023.

A pesquisa apresentada pela Secon e Dieese-PA nesta terça-feira, 19, analisa as 38 espécies de peixe mais consumidas pela população paraense.

Dados 

Os pescados que apresentaram quedas mais expressivas no mês de agosto foram:

Piramutaba, com baixa de 11,62%; 

Curimatã, 10,93%;

Pirapema, 7,86%;

Mapará, 4,92%;

Uritinga, 4,34%;

Tambaqui, 3,72%;

Pescada Gó, 3,32%;

Sarda, 3,28%;

Cangatá, 2,96%;

Serra 2,92%;

Filhote, 2,56%;

Pacu, 2,54%;

Pescada branca, 2,40%;

Tamuatá, 1,17%;

Gurijuba, 1,02%;

Dourada, 0,96%;

Pratiqueira, 0,58%;

e o Xaréu, com queda de 0,08%.

'Já no balanço comparativo de preços deste ano (janeiro a Agosto/2023), a maioria do pescado comercializado nos mercados municipais continua com preços elevados e em muitos casos com reajustes acima da inflação estimada em torno de 3,00% para o mesmo período'.

Se tratando do comportamento de valor nos últimos 12 meses (agosto de 2022 a agosto de 2023), o estudo releva que os reajustes superam em mais que o dobro a inflação, estimada em torno de 4,5% para o mesmo período, observa o supervisor técnico do Dieese-PA, Everson Costa.

Exceptivas – Segundo o secretário Municipal de Economia, Apolônio Brasileiro, 'a projeção é de que haja novas quedas no valor do peixe vendido neste mês de setembro em nossos mercados municipais, proporcionando, mais uma vez, uma boa alternativa para o bolso e para a saúde da população de Belém que consume esse alimento'.