Vídeo: pai de suspeito pelo desaparecimento de criança no Marajó diz que filho 'morreu por acusações em vão'

O principal suspeito pelo desaparecimento de Elisa Ladeira Rodrigues, de 2 anos, em Anajás, no Marajó, no Pará, Renan Braga morreu na madrugada desta segunda-feira, 25, na Central de Triagem da Marambaia, em Belém. Após a confirmação da morte, o pai de Renan falou em vídeo sobre a inocência do filho e que ele...

Publicado em 26 de junho de 2024 às 12:36

O principal suspeito pelo desaparecimento de Elisa Ladeira Rodrigues, de 2 anos, em Anajás, no Marajó, no Pará, Renan Braga morreu na madrugada desta segunda-feira, 25, na Central de Triagem da Marambaia, em Belém. Após a confirmação da morte, o pai de Renan falou em vídeo sobre a inocência do filho e que ele 'morreu por acusações em vão'.

'Meu filho tão novo, tão jovem perdeu a vida por tremendas covardias e falsidades, por acusações em vão. Injustiça que fizeram com o meu filho', afirma Miroca, como é conhecido na comunidade. (Assista abaixo)

Ainda no vídeo, o pai de Renan manda um recado aos avós da vítima. 'Vou falar para os avós da Elisa: tomem responsabilidade sobre as buscas da criança, eu não quero que parem, agora entrei em ação. Já perdi meu filho e isso não vai ficar assim. Perdi meu filho por covardia e falsidade porque vocês viram que meu filho foi preso, passou na frente da casa de vocês e vocês não falaram nada para a polícia. Vocês deviam ter falado 'não prendam o rapaz'', diz Miroca.

Veja:


,

O caso

Elisa desapareceu por volta das 10h do sábado, 16, quando brincava com outras crianças em uma trilha conhecida na Vila Carmelo, na comunidade do Zinco, no Alto Rio Anajás, segundo informações do Conselho Tutelar. Até o momento, a criança não foi encontrada.

Já no domingo, 17, uma intensa força-tarefa foi mobilizada na região, com equipes de busca e resgate dedicadas a vasculhar a área em busca de rastros que possam levar à localização da criança. Bombeiros Militares de Breves e policiais do Batalhão de Ações com Cães (BAC) da PM foram integrados aos trabalhos de busca. Moradores também se mobilizaram para ajudar a encontrar a criança.

Na terça-feira, 19, Renan Braga e Fabiano foram presos suspeitos pelo desaparecimento de Elisa. Fabiano foi interrogado e liberado após as investigações apontarem que ele não teria envolvimento no caso. Na quarta-feira, 20, durante uma reconstituição no local onde a criança sumiu, Renan conseguiu fugir da polícia. Na última sexta-feira, 22, Renan se entregou à Polícia Civil e compareceu acompanhado de uma advogada.