Dólar Americano/Real Brasileiro compra R$ 4,9103 venda R$ 4,9114 máxima 4,9253
Euro/Real Brasileiro compra R$ 5,8729 venda R$ 5,8772 máxima 5,8876
25 Jun - 10h27
sexta, 25 de junho de 2021

CONEXÃO CRISTÃ

Irmão Lázaro: a despedida ao ícone pop que personifica a complexidade da nossa cultura

23 Mar 2021 - 21h59Por Márcio Moreira

Faleceu devido às complicações da Covid-19, na última sexta-feira, 19 de março, em Feira de Santana, o cantor, compositor e vereador de Salvador Irmão Lázaro. Ícone gospel e ex-integrante do Olodum. A personificação da complexidade cultural do nosso povo.

Engana-se quem acredita na obviedade de um país tão gigante em dimensões, quanto em diversidade cultural. Por aqui, diferente de outras nações, é cada vez mais comum a pluralidade nas preferências musicais que, muitas vezes reflete, inclusive, o sincretismo da nossa gente e Lázaro foi um espelho contumaz desse multiculturalismo.

Frontman de um dos blocos afros de Salvador de maior notoriedade no Brasil, quando o Axé Music vivia o seu apogeu, nos anos de 1990, Antonio Lázaro da Silva, o então, Lázaro Negrumy, foi protagonista de mais que um acontecimento cultural, um movimento de referência e puro orgulho do negro brasileiro.

Junto com o sucesso, o contato precoce com as drogas chegou na carreira que começava a se desenhar para esse artista que enfrentou em casa o desgosto de uma vida mundana. “Meu primeiro instrumento, meu pai comprou com o dinheiro das compras do mês, acreditando nos meus sonhos. E, de repente, quando eu me envolvo com a música profissional, acabei me viciando em drogas e ele não suportou a ideia de andar nas ruas e ser conhecido como o pai do drogado”, relata Lázaro em entrevista à afiliada da TV Globo em Salvador.

Foi na busca por se libertar do vício que o baiano conheceu o Evangelho de Cristo e se converteu, decidindo assim, abdicar de todo o prestígio e fama conquistados até ali para servir à Jesus. Em 2012 ele chegou a lançar o livro “Quem era Eu”, onde falou de sua trajetória na música, o abuso de drogas e a sua conversão.

Pressionado por amigos e parentes e atendendo à própria vocação musical, Lázaro troca o Axé pelo Gospel e além de contar, passa a cantar seu testemunho em diversas igrejas e eventos ao redor do país. Em 2008 seu álbum Testemunho e Louvor, lhe trouxe de volta a notoriedade, dessa vez como artista religioso por meio de músicas como "Meu Mestre", "Eu Te Amo Tanto" e "Eu Sou de Jesus", o que lhe rendeu 10 indicações ao Troféu Talento do ano seguinte.

Irmão Lázaro catalisa a miscigenação da nossa cultura ao levar toda a estrutura sonora afro-pop para dentro dos templos neopentecostais. Versiona, por exemplo, seu maior hit profano “I Miss Her”, canção baseada no samba-reggae, pedra fundamental da construção do Axé, para um hino de cultos evangélicos, agora intitulada “Eu sou de Jesus”. Subvertendo, inclusive, a lógica sonora ritualística que utilizava os compassos percussivos dedicados à orixás, nesse novo formato, inteiramente consagrado à Cristo... pura brasilidade!

Não bastasse o carnaval sincrético promovido por sua música sagrada, Lázaro decide entrar na política, outro caminho tipicamente tupiniquim, já que só no Brasil a popularidade artística alimenta a confiança eleitoreira com tamanha pujança.

Foi o terceiro deputado federal mais votado da Bahia em 2014. Passa a integrar a bancada religiosa, PSC e depois PL. Quatro anos mais tarde não consegue alcançar o senado, mas como vereador apoia Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais e deixa sua marca como político de visão liberal mesmo entre os conservadores.

Desde quando ele partiu para, como diz uma de suas canções de maior sucesso, “ainda bem... morar no céu”, as redes sociais foram tomadas por homenagens à ele por meio de perfis de conservadores e progressistas, afro-religiosos, católicos e evangélicos, enfim, brasileiros de todos os tipos que foram inevitavelmente tocados por seu carisma e seu poder de empatia como brasileiro tipicamente diverso e complexo que foi.

 

CURTAS CONEXÕES

Marcos e Matteus lançam single “O Ladrão da Cruz” com participação de Daniel e Samuel

"O Ladrão da Cruz" é um collab em que, Marcos e Matteus se unem com Daniel e Samuel numa parceria incrível, com a canção sendo lançada tanto no canal de Marcos e Matteus, como no de Daniel e Samuel no youtube, além disso, o áudio foi disponibilizado no perfil de ambas as duplas. A canção assinada pelo compositor Samuel Santos e produzida por Jodson Sousa aparece como se fosse um diálogo entre o ladrão da direita e Jesus, onde, arrependido, o ladrão expõe sua pequenez diante da grande oportunidade da salvação, reconhecendo sua vida de pecado. Vale destacar que a emoção invadiu os corações de quem participava da gravação do clipe e todos, de forma unânime, disseram que muitas vidas serão transformadas através dessa canção.

Confira:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Cientistas descobrem nova espécie de ancestral humano em Israel
INTERNACIONAL

Cientistas descobrem nova espécie de ancestral humano em Israel

há 6 minutos atrás
Cientistas descobrem nova espécie de ancestral humano em Israel
Homem é executado a tiros no centro de Belém
CRIMINALIDADE

Homem é executado a tiros no centro de Belém

há 10 minutos atrás
Homem é executado a tiros no centro de Belém
Cidades do Nordeste perdem quase R$ 1 bilhão sem São João devido à pandemia
PREJUÍZO

Cidades do Nordeste perdem quase R$ 1 bilhão sem São João devido à pandemia

há 12 minutos atrás
Cidades do Nordeste perdem quase R$ 1 bilhão sem São João devido à pandemia
Criança de 12 anos cai de quarto andar no Tijuca e está em estado grave
RIO DE JANEIRO

Criança de 12 anos cai de quarto andar no Tijuca e está em estado grave

há 20 minutos atrás
Criança de 12 anos cai de quarto andar no Tijuca e está em estado grave
Coronel Nunes será 'neutro' em eleição da FPF, diz comunicado da CBF
HUM...

Coronel Nunes será 'neutro' em eleição da FPF, diz comunicado da CBF

há 23 minutos atrás
Coronel Nunes será 'neutro' em eleição da FPF, diz comunicado da CBF
Últimas Notícias