Dólar Comercial compra R$ 4,1692 venda R$ 4,1694 máxima 4,1693
Euro compra R$ 4,5915 venda R$ 4,5930 máxima 4,5934
13 Nov - 03h59
quarta, 13 de novembro de 2019

MAIS SAÚDE

“Agosto Verde Claro” alerta para o combate ao Linfoma. Assista!

07 Ago 2019 - 18h42

Agosto é o mês de combate ao Linfoma através da campanha “Agosto Verde Claro”, instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce e do tratamento da doença. Os linfomas são cânceres que têm origem no sistema linfático, uma rede de vasos, órgãos e gânglios do nosso corpo encarregado de distribuir as células de defesa por todo o organismo.

São mais de 40 tipos de linfomas, divididos em dois principais grupos, os linfomas Não Hodgkin e o linfoma de Hodgkin. Em 2018, ambos tiveram, respectivamente, uma estimativa de 10.1802 e 2.5303 novos casos no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

O termo “Linfoma” é usado para designar vários tipos de câncer que se originam nos linfócitos, células que desempenham papel crucial no funcionamento do sistema imunológico. A doença surge quando uma dessas células, um linfócito, sofre mutação e passa a se multiplicar de forma descontrolada, fazendo com que os gânglios aumentem de tamanho e prejudiquem as funções do sistema linfático.

A Dra. Juliana Pelaio, staff do Centro Avançado de Oncohematologia e Transplantes da Oncológica do Brasil, explica o que é e como tratar os linfomas.

Conheça os sintomas:

Em geral, os principais sintomas dos linfomas são gânglios palpáveis e endurecidos nas axilas, virilhas e pescoço, normalmente indolores. Existem, no entanto, outras doenças mais comuns que podem levar ao aumento dos gânglios, como quadros de infecção. Por isso é fundamental   procurar um especialista, caso os gânglios permaneçam por um longo período, principalmente se forem acompanhados por outros sintomas como febre, cansaço persistente, suor intenso à noite e perda de peso.

Diagnóstico:

O linfoma de Hodgkin, por exemplo, é mais diagnosticado em pessoas entre 15 e 35 anos e em indivíduos com idade superior a 55 anos. Para o diagnóstico, alguns exames são necessários, como o físico, para procurar vestígios da doença nos linfonodos, além de exames de sangue e biópsia. A biópsia deve ser analisada por um patologista, que, na sequência, confirma o diagnóstico e encaminha o resultado para o hematologista, que dará prosseguimento ao tratamento desse paciente em caso de linfoma, dependendo do tipo da doença e estágio.

Tratamento:

O tratamento de linfomas varia de acordo com o paciente e depende do tipo da doença (Hodgkin ou não Hodgkin). Os recursos terapêuticos disponíveis são radioterapia, quimioterapia e imunoterapia. Quando descoberto em fase inicial, as chances de cura são altas. Por isso, é importante procurar sempre um médico, quando os sintomas são notados.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Investidores da Wolf Invest denunciam atraso no ressarcimento: "Ainda não recebemos nosso dinheiro de volta!"
GOLPE MILIONÁRIO

Investidores da Wolf Invest denunciam atraso no ressarcimento: "Ainda não recebemos nosso dinheiro de volta!"

12/11/2019 23:31
Investidores da Wolf Invest denunciam atraso no ressarcimento: "Ainda não recebemos nosso dinheiro de volta!"
Alcolumbre diz que vai pautar prisão em segunda instância no plenário
SENADO

Alcolumbre diz que vai pautar prisão em segunda instância no plenário

12/11/2019 23:00
Alcolumbre diz que vai pautar prisão em segunda instância no plenário
Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores
ECONOMIA

Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores

12/11/2019 22:30
Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores
POUCAS E BOAS

Corrida no aeroporto

12/11/2019 22:00
Paralisação dos rodoviários da Belém-Rio chega ao fim
TRANSPORTE PÚBLICO

Paralisação dos rodoviários da Belém-Rio chega ao fim

12/11/2019 21:14
Paralisação dos rodoviários da Belém-Rio chega ao fim
Últimas Notícias