Dólar Comercial compra R$ 5,4378 venda R$ 5,4391 máxima 5,4386
Euro compra R$ 6,4086 venda R$ 6,4114 máxima 6,4113
08 Ago - 11h58
sábado, 08 de agosto de 2020
PMB ICOAR E OUT 27.7
PMB ICOAR E OUT - MOB 27.7
CIÊNCIA

Acelerador de partículas Sirius mostra detalhes do novo coronavírus

12 Jul 2020 - 23h00Atualizado 12 Jul 2020 - 22h50
Acelerador de partículas Sirius mostra detalhes do novo coronavírus - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

O CNPEM (Centro Nacional de Pesquisa em Energias e Materiais) divulgou os primeiros resultados dos experimentos com o Sirius, uma fonte de luz síncrontron totalmente brasileira. A estação, localizada em Campinas-SP, é capaz de mostrar pequenos detalhes estruturais das moléculas e proteínas virais.

A pesquisa foi realizada durante a última em cristais de proteínas da Sars-Cov-2, síndrome respiratória pandêmica causa pela novo coronavírus. Os resultados mostraram cristais necessários para o ciclo de vida do novo vírus. Os resultados obtidos pelo Sirius podem ter grande importância para futuros tratamentos contra a covid-19.

As análises realizadas pela CNPEM podem ajudar cientistas a entenderem melhor a biologia que envolvem o novo coronavírus e auxiliar pesquisadores a encontrarem medicamentos eficazes contra a doença. “Para constatar que a estação de pesquisa está dentro dos parâmetros projetados, gerando resultados confiáveis, resolvemos primeiramente a estrutura de proteínas bem conhecidas, como lisozima – uma molécula presente na nossa lágrima e saliva. Reproduzimos as medidas esperadas para essas amostras-padrão e, então, ao verificarmos a boa performance da máquina, seguimos para a coleta de dados de experimentos reais, com cristais de proteínas do SARS-CoV-2”, explica a pesquisadora da força tarefa do CNPEM contra covid-19 Ana Carolina Zeri.

O Sirius, dedicado a cristalografia (ciência que estuda átomos em sólidos) de proteínas, emite ondas de raio-x que revelam cada detalhe de que compõem determinada molécula. Com os resultados obtidos, é possível determinar a posição de cada átomo e, a partir disso, entender o funcionamento das moléculas e a ação no organismo. Os resultados auxiliam pesquisadores a desenvolverem remédios que podem combater o vírus estudado, no caso o novo coronavírus. Os estudos são realizados de forma minuciosa, sendo observado milhares de parâmetros com diversos processos de testes para obter resultados precisos.

A pesquisa realizada no, LNBio (Laboratório Nacional de Biociências), parte do CNPEM, analisou a proteína 3CL Protease, do Sars-Cov-2. “Conhecida por Mpro, essa molécula, em formato que lembra um coração, é uma das principais proteases do vírus, essencial para seu ciclo de vida”, explica a pesquisadora da força tarefa do CNPEM contra covid-19, Daniela Trivella. “Essas proteases, fundamentais para a replicação viral, são alvos conhecidos para o desenvolvimento de medicamentos, já que, ao inibir essas proteínas, é possível interferir na proliferação do vírus. Inclusive, as primeiras drogas para HIV foram desenvolvidas mirando proteases do vírus e as drogas com essa ação estão presentes nos coquetéis utilizados para HIV, até hoje”, esclarece a pesquisadora.

O diretor do Laboratório Nacional de Biociências (LNBio), Kleber Franchini, afirma que irá aprofundar ainda mais os estudos para obter dados confiáveis. “Temos vários grupos de pesquisadores mobilizados para investigar os mecanismos moleculares relacionados à atividade dessa proteína, buscar inibidores de sua atividade, estudar outras proteínas virais, gerar conhecimentos que podem apoiar o desenvolvimento de medicamentos contra a doença”, informou Franchini.

Além da estação localizada em Manacá, a equipe deseja entregar nos próximos meses, a linha de luz Catereté, voltada a técnicas de Espalhamento Coerente de Raios X, onde será possível produzir imagens celulares tridimensionais de alta resolução.

O diretor-geral do CNPEM e do projeto Sirius, José Roque, afirma que está oferecendo “condições de pesquisas inéditas no país”. O diretor informa ainda que Neste momento, em que se fala tanto da importância da ciência e tecnologia para a solução de problemas, estamos diante de uma máquina avançada, projetada por brasileiros e construída em parceria com a indústria nacional. Espero que, cada vez mais, todos os setores da sociedade reconheçam a importância da ciência para a solução dos nossos problemas e as capacidades que temos no país.”

Fonte: Poder 360 com informações da Agência Brasil

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 99385-1113ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

Falta de dados e de transparência criam desconfiança sobre a vacina da Rússia
EM BUSCA DA CURA

Falta de dados e de transparência criam desconfiança sobre a vacina da Rússia

08/08/2020 09:00
Falta de dados e de transparência criam desconfiança sobre a vacina da Rússia
Covid-19: Fiocruz recebe R$ 100 milhões para produção de vacina
PESQUISA

Covid-19: Fiocruz recebe R$ 100 milhões para produção de vacina

07/08/2020 22:00
Covid-19: Fiocruz recebe R$ 100 milhões para produção de vacina
Covid-19: Brasil tem 2,96 milhões de casos e 99,5 mil mortes
PANDEMIA

Covid-19: Brasil tem 2,96 milhões de casos e 99,5 mil mortes

07/08/2020 20:25
Covid-19: Brasil tem 2,96 milhões de casos e 99,5 mil mortes
Amapá, Ceará e Rio de Janeiro seguem em alerta de uma segunda onda de covid-19
TENDÊNCIA

Amapá, Ceará e Rio de Janeiro seguem em alerta de uma segunda onda de covid-19

07/08/2020 19:19
Amapá, Ceará e Rio de Janeiro seguem em alerta de uma segunda onda de covid-19
Covid-19 já causou mais de 14 mil mortes no Estado do Rio
BOLETIM

Covid-19 já causou mais de 14 mil mortes no Estado do Rio

07/08/2020 19:18
Covid-19 já causou mais de 14 mil mortes no Estado do Rio
Últimas Notícias