Maior museu de arte a céu aberto da Amazônia inaugura neste domingo em Belém; veja a programação

Depois de semanas de produção das obras que colocaram cor em cerca de 4 mil m² de muros, fachadas e paredes no Complexo do Ver-o-Rio, Belém ganha o maior museu de arte a céu aberto da Amazônia neste domingo, 24. A inauguração do Museu de Arte Urbana de Belém (M.A.U.B) será com um grande festival...

Publicado em 26 de junho de 2024 às 12:26

Depois de semanas de produção das obras que colocaram cor em cerca de 4 mil m² de muros, fachadas e paredes no Complexo do Ver-o-Rio, Belém ganha o maior museu de arte a céu aberto da Amazônia neste domingo, 24. A inauguração do Museu de Arte Urbana de Belém (M.A.U.B) será com um grande festival de música e gastronomia, com mais de 11 horas de programação gratuita.

O festival M.A.U.B começa às 9h, com oficinas voltadas para crianças, visita guiada e contação de história. Haverá ainda batalha de breaking. E no palco principal esquenta ao som de rap e hip hop do DJ Morcegão, Anna Suav e Bruna BG, Nic Dias e Rael.

'O festival vai inaugurar o M.A.U.B com muita música e gastronomia. Além, é claro, de um período de visitas guiadas pelas obras e oficinas', diz Gibson Massoud, da Sonique Produções, idealizador do projeto.

Novo fenômeno do rap brasileiro, Rael é headliner do festival M.A.U.B. O paulista começou a cantar com 17 anos e lançou seu primeiro trabalho solo, o álbum 'Música Popular do Terceiro Mundo', em 2010. Em 2014, o rapper explodiu no Brasil com o EP 'Diversoficando'. Parte do sucesso se deu pelo single 'Envolvidão', que já alcançou mais de 100 milhões de views.

Também marcará presença no festival a dupla de rap paraense Anna Suav & Bruna BG. Elas trazem em sua poética vivências de mulheres negras do Norte do país, entre denúncias sociais, abordando ancestralidade, apelos espirituais, declarações de amor e também denúncias sociais. Entre os caminhos sonoros da dupla, as artistas passeiam para além do rap, emprestando arranjos e elementos do R&B, afrobeat, rock e da música regional, misturando camadas permeadas por fortes guitarras, beats, batuques e retalhos de poesia.

Cria de Icoaraci, Nic Dias também se apresenta no festival. Jovem estrela da cena do rap nortista, ela desponta no cenário nacional. Em cada música, a rapper mostra porque veio para ficar: sem filtro, Nic está disposta a contar cada pensamento e poesia que estão entalados na garganta, a partir da sua visão e vivência como uma mulher negra, nortista e da periferia, sem se importar a quem possa, ocasionalmente, incomodar.

A programação conta com a performance do DJ Morcegão, artista da periferia de Belém que traz em seu set o break, o rap e toda a batida da cultura urbana.

Museu a céu aberto

Até a entrega do M.A.U.B, foram 19 dias de produção das obras contempladas via edital, que envolveram 21 artistas de diversos estados do Brasil. O line-up foi totalmente inclusivo: são doze amazônidas, três nordestinos, quatro sudestinos, um sulista e um artista do Centro-oeste. As mulheres também são maioria: doze mulheres e nove homens. A obra de um artista convidado foi adicionada posteriormente ao Museu pela curadoria.

O momento de execução do projeto, setembro de 2023, coincide com um cenário de aquecimento do turismo local, já que a capital paraense foi escolhida como sede do maior evento sobre mudanças climáticas do mundo, a COP-30, que será realizada em 2025. O resultado é uma visibilidade ainda maior para a Street Art e para as mensagens dos artistas.

William Baglione, curador do projeto, explica que além da escolha dos artistas - por meio de edital público, incluindo convites para inscrições - foi preciso um trabalho cuidadoso de observar a experiência, estilo e perfil de cada artista considerando os espaços disponíveis para pintura. Um exemplo é o maior painel, com impressionantes 22 metros de altura por 60 de largura, que está sendo pintado em um coolab de Thiago Nevs (SP), And Santos (PA) e Luiz Júnior (PA).

'Existe um tipo de arte muito usado na Amazônia que é o abre-letras, aquelas tipografias usadas nos barcos. O Luís Jr é um dos maiores abridores de letras da região e tinha tido alguns contatos com o Thiago Nevs, artista paulistano renomado no grafite que, por vezes, utiliza caligrafia vernacular nos seus trabalhos. Os dois já haviam trocado conhecimentos e a gente sabia que era uma relação legal. De um lado, o Luís, chegando na Street Art, do outro, o Thiago, trazendo essa bagagem da arte urbana de São Paulo já com interesse e história nas tipografias', explica Baglione.

A collab foi coroada com a presença de And Santos, um artista visual paraense que hoje possui estética realista e surrealista mas passou a maior parte de sua adolescência abrindo letras em canoas e barcos.

O projeto do M.A.U.B foi aprovado pela Sonique Produções na Lei Federal de Incentivo à Cultura e patrocinado pelo Instituto Cultural Vale e pelo Nubank. A iniciativa tem apoio da Fumbel, Secretaria de Turismo do Pará, Rádio Unama e Rádio Cultura.

Veja a programação:

9-10h Oficina de pintura em lata com Santo (infantil)

9-10h Visita Guiada (público livre)

10-11h Contação de história

11-12h Oficina de bolhas de sabão gigante

FEIRA GASTRONÔMICA



  • Antônica




  • City Burger




  • Espaço 7dois




  • Doce Sophia




  • VegCasa




  • Padaria Verderosa.


FEIRA CRIATIVA



  • Aya Pendurados




  • Casa Thay Petit




  • Retrô Chic




  • Ciclo Saboaria Artesanal




  • Ateliê Cativa




  • Égua Du Óleo




  • Drina Store




  • Kaly Acessórios




  • Plur Acessórios




  • Criê




  • Bixo Discos


SHOWS

15h15: DJ Morcegão

16h - 16h40: Anna Suav e Bruna BG

16h40: DJ Morcegão

17h00 - 17h40: Nic Dias

17h40: DJ Morcegão

18h - 19h20: Rael