Bernardinho volta ao comando da Seleção Masculina de vôlei

Bernardinho é o novo técnico da seleção masculina de vôlei. A informação de seu retorno ao comando da equipe verde-amarela foi confirmada pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) nesta quarta-feira, 27. Multicampeão à frente do Brasil, o treinador volta para ocupar o lugar de Renan Dal Zotto, que pediu demissão...

Publicado em 28 de dezembro de 2023 às 07:30

Bernardinho é o novo técnico da seleção masculina de vôlei. A informação de seu retorno ao comando da equipe verde-amarela foi confirmada pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) nesta quarta-feira, 27. Multicampeão à frente do Brasil, o treinador volta para ocupar o lugar de Renan Dal Zotto, que pediu demissão após o Pré-Olímpico deste ano.

'Voltei para contribuir. A decisão do Renan foi uma grande surpresa, mas respeito muito sua iniciativa de cuidar da saúde e da família. Ele fez um trabalho muito bom e deixa a seleção classificada para os Jogos Olímpicos', disse Bernardinho, técnico do Sesc Flamengo na Superliga Feminina. 'Os trabalhos vão caminhar em paralelo, claro, mas só falarei sobre seleção quando a Superliga terminar', explicou.

Além disso, vale destacar que a volta de Bernardinho à seleção brasileira vinha sendo especulada nos últimos meses. Em setembro deste ano, o atual treinador do Sesc Flamengo assumiu o cargo de coordenador de seleções da Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). Na época, a equipe brasileira não passava por um bom momento e Renan Dal Zotto viu as críticas ao seu trabalho aumentarem com a inédita prata nos Jogos Sul-Americanos. 

'Bernardinho tem seu nome escrito na história do esporte mundial. É uma felicidade para o vôlei brasileiro contar com um profissional com esse talento e histórico. Ele já estava atuando como coordenador técnico das equipes masculinas adultas e de base[…] Esse projeto continua, e neste momento, nada mais natural do que ele assumir o comando da seleção adulta', ressaltou Radamés Lattari, presidente da CBV.

Bernardinho reassume o cargo de treinador da seleção masculina de vôlei quase oito anos após o título olímpico na Rio-2016. Naquela oportunidade, o técnico deixou a função sendo bicampeão dos Jogos Olímpicos (Atenas-2004) e medalhas nas Olimpíadas de 1996 e 2000 com a equipe feminina, e, em 2008 e 2012 com o time masculino. Além disso, nesse período, ele também se sagrou tricampeão mundial.