Dólar Comercial compra R$ 4,0865 venda R$ 4,0883 máxima 4,0922
Euro compra R$ 4,5654 venda R$ 4,5691 máxima 4,5815
13 Dez - 10h19
sexta, 13 de dezembro de 2019
Unique
Unique_mobile
POR UNANIMIDADE

Anvisa libera registro e comercialização de medicamentos à base de maconha em farmácias

03 Dez 2019 - 12h34Atualizado 03 Dez 2019 - 17h16
Anvisa libera registro e comercialização de medicamentos à base de maconha em farmácias - Crédito: Reprodução Crédito: Reprodução

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta terça-feira, 3, por unanimidade, a regulamentação do registro e da venda de medicamentos à base de cannabis em farmácias e drogarias no Brasil. A norma entrará em vigor em 90 dias e, segundo a agência, deve melhorar vida de milhões de pacientes que dependem desses medicamentos.

Os diretores da agência iniciaram, ainda nesta manhã, uma segunda votação, que discute a liberação do plantio da maconha no território brasileiro para uso medicinal.

A decisão cria uma nova classe de produtos no mercado de medicamentos do Brasil: a de produtos à base de cannabis, termo que vem sendo utilizado internacionalmente. A proposta aprovada elenca os requisitos necessários para a regularização dos medicamentos à base de maconha no País, estabelecendo parâmetros de qualidade.

A Resolução da Diretoria Colegiada (RCD) deverá passar por uma reavaliação em até três anos. Segundo a proposta aprovada pela Anvisa, as empresas não devem abandonar as pesquisas de comprovação de eficácia e segurança das formulações, uma vez que as propostas para produtos à base de cannabis se assemelham aos procedimentos dos medicamentos tradicionais.

O regulamento aprovado exige que a empresa interessada em fabricar medicamentos a base de maconha tenha autorizações de funcionamento específicas, além de certificado de boas práticas de fabricação emitido pela Anvisa.

A proposta aprovada prevê que os medicamentos à base de cannabis devem ser vendidos exclusivamente em farmácias ou drogarias, mediante a apresentação de receita médica. Os fabricantes que optarem por importar o substrato da cannabis para fabricação do produto deverão, segundo a Anvisa, realizar a importação da matéria prima semielaborada. Ou seja, a empresa não pode importar a planta ou parte dela.

Fonte: Estadão.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 99385-1113ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

MP investiga Salles por usar relações pessoais e cargo político para tentar direcionar inquéritos e processos
ABUSO DE PODER

MP investiga Salles por usar relações pessoais e cargo político para tentar direcionar inquéritos e processos

13/12/2019 09:15
MP investiga Salles por usar relações pessoais e cargo político para tentar direcionar inquéritos e processos
Para 81%, Lava Jato deve continuar, diz Datafolha
PESQUISA

Para 81%, Lava Jato deve continuar, diz Datafolha

13/12/2019 09:08
Para 81%, Lava Jato deve continuar, diz Datafolha
Homem suspeito de desviar dinheiro de ganhador da Mega-Sena é preso no Rio de Janeiro
MUY AMIGO

Homem suspeito de desviar dinheiro de ganhador da Mega-Sena é preso no Rio de Janeiro

13/12/2019 08:46
Homem suspeito de desviar dinheiro de ganhador da Mega-Sena é preso no Rio de Janeiro
Anatel adia decisão sobre regras do leilão do 5G
PARA O ANO QUE VEM!

Anatel adia decisão sobre regras do leilão do 5G

13/12/2019 08:30
Anatel adia decisão sobre regras do leilão do 5G
Câmara deixa relatório da reforma tributária para 2020
ANO QUE VEM!

Câmara deixa relatório da reforma tributária para 2020

13/12/2019 08:15
Câmara deixa relatório da reforma tributária para 2020
Últimas Notícias