Dólar Comercial compra R$ 5,3158 venda R$ 5,3163 máxima 5,3792
Euro compra R$ 5,9766 venda R$ 5,9782 máxima 6,0392
05 Jul - 06h37
domingo, 05 de julho de 2020
Basa Sua Conta
Basa Sua Conta
MEDIDA POLÊMICA

Bolsonaro desiste de projeto de desconto na conta de energia para igrejas

15 Jan 2020 - 14h11Atualizado 15 Jan 2020 - 15h12
Bolsonaro desiste de projeto de desconto na conta de energia para igrejas - Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil Crédito: Valter Campanato/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira, 15, que suspendeu qualquer negociação para conceder subsídios nas contas de energia de templos religiosos. A decisão ocorre após a divulgação, na semana passada, de que o governo preparava um decreto para adotar a medida.

O pedido teria partido do próprio presidente, mas que havia resistência por parte da equipe econômica.

“Falei com o Silas Câmara (presidente da bancada evangélica na Câmara) e com o (missionário) R. R. Soares e está suspensa qualquer negociação nesse sentido”, afirmou Bolsonaro nesta quarta-feira ao deixar o Ministério de Minas e Energia.

Ontem, Bolsonaro disse que estava tomando “pancada” por causa da medida, mas ainda não havia decidido.

A minuta de decreto chegou a ser elaborada pelo Ministério de Minas e Energia e enviada à pasta da Economia, mas a articulação provocou atrito no governo, já que a equipe econômica rejeita a medida.

Pela minuta, os templos passariam a pagar tarifas no horário de ponta, quando há maior consumo, iguais às cobradas durante o dia, que são mais baratas. Cada distribuidora tem seu próprio horário de ponta, que dura três horas consecutivas e se concentra entre o fim da tarde e o início da noite durante dias de semana.

Nesses horários, o consumo de energia pode ficar 50% maior, e as taxas de uso, subir até 300%. É justamente nesse período que os templos costumam realizar cultos.

Na opinião de Silas Câmara, um eventual desconto na conta de luz de templos religiosos não seria um gesto grande para o governo, mas importante para a bancada evangélica. Segundo ele, o assunto ainda será tratado em uma nova conversa com o presidente.

O argumento é de que a mudança na cobrança teria um impacto “insignificante” nas contas do governo e que não poderia ser considerada uma espécie de subsídio. De acordo com o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, no entanto, o impacto econômico seria de R$ 37 milhões.

O benefício às igrejas encontra impedimento também no Tribunal de Contas da União (TCU), que considera inconstitucional conceder subsídio por decreto nas tarifas.

Fonte: Isto É

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 99385-1113ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

Empresas boicotam publicidade no Facebook por discurso de ódio, incitação à violência e desinformação
REDE SOCIAL

Empresas boicotam publicidade no Facebook por discurso de ódio, incitação à violência e desinformação

04/07/2020 23:00
Empresas boicotam publicidade no Facebook por discurso de ódio, incitação à violência e desinformação
Governo da Bahia decreta toque de recolher em 11 cidades
MEDIDA

Governo da Bahia decreta toque de recolher em 11 cidades

04/07/2020 22:00
Governo da Bahia decreta toque de recolher em 11 cidades
Carlos Decotelli inclui cargo de ministro da Educação em currículo
NÃO TOMOU POSSE

Carlos Decotelli inclui cargo de ministro da Educação em currículo

04/07/2020 20:30
Carlos Decotelli inclui cargo de ministro da Educação em currículo
Bolsonaro parabeniza Trump e os EUA pelo dia da independência
4 DE JULHO

Bolsonaro parabeniza Trump e os EUA pelo dia da independência

04/07/2020 20:10
Bolsonaro parabeniza Trump e os EUA pelo dia da independência
‘É correto, sim, dar marmitas’, diz Damares sobre declaração de Bia Dória
REBATEU

‘É correto, sim, dar marmitas’, diz Damares sobre declaração de Bia Dória

04/07/2020 18:21
‘É correto, sim, dar marmitas’, diz Damares sobre declaração de Bia Dória
Últimas Notícias