Euro compra R$ 4,2993 venda R$ 4,3014 máxima 4,3155
Dólar Comercial compra R$ 3,7856 venda R$ 3,7868 máxima 3,7988
20 Mar - 12h35
quarta, 20 de março de 2019
Unique
E O SALÁRIO, Ó...

Bolsonaro tem 1 mês para definir reajuste do mínimo, e ele pode ser menor

15 Mar 2019 - 07h50Por Da Redação
Jair Bolsonaro, presidente da República - Crédito: Sérgio Lima/Poder360Jair Bolsonaro, presidente da República - Crédito: Sérgio Lima/Poder360

O presidente Jair Bolsonaro tem até o dia  15 de abril, para definir qual será a regra de reajuste do salário mínimo para o ano que vem. Esse é o prazo que o governo tem para enviar ao Congresso o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020.

A regra atual, que leva em consideração a inflação do ano anterior, medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), mais o crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de dois anos antes, era válida até este ano. Com esse modelo, o piso costuma ter reajuste real, ou seja, acima da inflação, exceto quando a economia não cresce.

O professor de economia da Universidade Presbiteriana Mackenzie Alphaville João Francisco de Aguiar afirmou que o salário mínimo deveria crescer pela produtividade da economia. "Há uma queda de produtividade e, mesmo assim, têm ocorrido aumentos acima da inflação para o salário mínimo. Não há saída. Não há como continuar com essa política de aumento com o PIB".

Aguiar disse que o governo deve propor uma regra diferente, com reajustes menores. "Eu não tenho dúvidas de que será um aumento menor do que o que foi nos últimos anos. O aumento do salário mínimo não tem como continuar com essa política de distribuição. As empresas não suportam. A ideia é abrir um pouco mão dos direitos e ter mais empregos".

Para a professora de economia do Insper Juliana Inhasz, a regra como é hoje não favorece o crescimento econômico. "A gente tem a impressão que favorece porque ela dá mais poder de compra para quem recebe benefício ou rendimento atrelado ao mínimo. Então, essas pessoas realmente passam a ter ganhos reais. Mas temos um déficit público elevado e, por conta disso, não conseguimos aumentar os investimentos". 

Para ela, o ideal é continuar apenas com a manutenção do poder de compra, com reajustes seguindo a inflação, para reduzir o rombo. "Com o déficit reduzido, há condições de crescer mais, de forma mais sustentável. Provavelmente isso terá uma boa sinalização para o mercado, mostrando o comprometimento do governo com as metas de redução de déficit. Isso, sim, aumentaria a produtividade".

Com informações do Uol.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MPF denuncia pela 29ª vez Sérgio Cabral por corrupção e lavagem de dinheiro
LAVA JATO

MPF denuncia pela 29ª vez Sérgio Cabral por corrupção e lavagem de dinheiro

há 42 minutos atrás
MPF denuncia pela 29ª vez Sérgio Cabral por corrupção e lavagem de dinheiro
MEC cria comissão para decidir itens que farão parte do Enem 2019
GRUPO DE ESPECIALISTAS

MEC cria comissão para decidir itens que farão parte do Enem 2019

20/03/2019 10:56
MEC cria comissão para decidir itens que farão parte do Enem 2019
Reforma da Previdência dos militares poderá ser enviada nesta quarta à Câmara
DIZ MOURÃO

Reforma da Previdência dos militares poderá ser enviada nesta quarta à Câmara

há 2 horas atrás
Reforma da Previdência dos militares poderá ser enviada nesta quarta à Câmara
PF e MPF cumprem mandados de prisão contra doleiros em mais uma fase da Lava Jato
"OPERAÇÃO CÂMBIO, DESLIGO"

PF e MPF cumprem mandados de prisão contra doleiros em mais uma fase da Lava Jato

20/03/2019 09:33
PF e MPF cumprem mandados de prisão contra doleiros em mais uma fase da Lava Jato
Primeira audiência do caso Ghosn deve ocorrer em seis meses
NOVELA

Primeira audiência do caso Ghosn deve ocorrer em seis meses

20/03/2019 09:03
Primeira audiência do caso Ghosn deve ocorrer em seis meses
Últimas Notícias