Dólar Comercial compra R$ 4,1472 venda R$ 4,1479 máxima 4,1830
Euro compra R$ 4,5681 venda R$ 4,5706 máxima 4,6132
21 Set - 10h15
sábado, 21 de setembro de 2019
Unique
Unique_mobile
PARALISAÇÃO

Direção dos Correios diz que greve não afeta serviços postais

11 Set 2019 - 18h33Atualizado 11 Set 2019 - 18h55
Direção dos Correios diz que greve não afeta serviços postais - Crédito: Agência Brasil Crédito: Agência Brasil

A direção dos Correios afirmou, em nota, que a greve aprovada pelos trabalhadores da empresa na noite da última terça-feira, 10, ainda não afetou os serviços postais, financeiros e de conveniência prestados nos mais de 12 mil pontos de atendimento espalhados pelo país.

Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira, 11, a diretoria da empresa classifica a iniciativa dos empregados da estatal de “paralisação parcial”. Segundo a diretoria, 82% do efetivo total das agências estão trabalhando normalmente nesta quarta-feira. Em Brasília, o percentual é de 88,47%, de acordo com a empresa.

Para minimizar eventuais impactos futuros à população, os Correios colocaram em prática seu Plano de Continuidade de Negócios, que prevê medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e a realização de mutirões.

A Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect) afirmou que o movimento é nacional, por tempo indeterminado. A reportagem não conseguiu contato com os dirigentes sindicais após os Correios divulgarem a nota.

Em assembleia realizada ontem à noite, em São Paulo, o vice-presidente da Findect, Elias Cesário de Brito Júnior, afirmou que a categoria foi “empurrada” para a greve. “Não queríamos entrar em greve. Queríamos continuar trabalhando como sempre fizemos, servindo à população e defendendo nossos empregos. Há mais de três meses estamos negociando, colocando a pauta de reivindicações em nível nacional. O TST [Tribunal Superior do Trabalho] teve que intervir”, disse, durante a assembleia.

Além de ser contrária à proposta de privatização dos Correios, a categoria reivindica a prorrogação do Acordo Coletivo de trabalho (ACT), que venceu em 31 de julho, a reposição das perdas inflacionárias dos últimos anos e a manutenção do vale-alimentação e do plano de saúde.

No mês passado, o governo federal incluiu os Correios no Plano Nacional de Desestatização (PND) e inaugurou a fase de estudos para privatizar, total ou parcialmente, a empresa e outras estatais. A abertura de estudos não indica necessariamente que uma empresa será privatizada, restando, como alternativa para as companhias federais incluídas no plano, a assinatura de parcerias com o setor privado.

De acordo com Martha Seillier, secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), da Casa Civil, o objetivo inicial dos estudos é analisar a viabilidade econômica dos ativos federais (empresas, ações e serviços) e o possível impacto de parcerias com a iniciativa privada.

A negociação das cláusulas do acordo foi parar no Tribunal Superior do Trabalho (TST), que, na semana passada, após várias tentativas de compatibilizar os interesses de trabalhadores e da empresa, decretou a extinção do procedimento de mediação e conciliação pré-processual. Segundo a assessoria do tribunal, a direção dos Correios não aceitou a proposta de prorrogar o acordo coletivo para permitir o prosseguimento das negociações, que, segundo a assessoria do tribunal, “evitaria a greve da categoria”.

“Querem reduzir radicalmente os salários e benefícios para diminuir custos e privatizar os Correios”, informou a Findect, entidade que reúne os sindicatos que representam os cerca de 100 mil empregados da empresa. “Para manter nosso acordo coletivo, repor as perdas aos salários e manter os empregos, teremos que lutar”.

A direção dos Correios afirma ter apresentado aos representantes dos trabalhadores os números que revelam a “real situação econômica da estatal”. De acordo com a direção da empresa, os prejuízos operacionais acumulados chegam a R$ 3 bilhões.

Plano

Em nota divulgada nesta tarde, a direção da empresa informa que está em execução um plano de saneamento financeiro para garantir competitividade e sustentabilidade. “Desde o início de julho, a empresa participa de reuniões com os representantes dos empregados, nas quais foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado. As federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa”, destaca a nota.

“Vale ressaltar que, neste momento, um movimento dessa natureza agrava ainda mais a combalida situação econômica da estatal. Por essa razão, os Correios contam com a compreensão e responsabilidade de todos os seus empregados, que precisam se engajar na missão de recuperar a sustentabilidade da empresa e os índices de eficiência dos serviços prestados à população brasileira”, acrescenta o texto.

Fonte: Agência Brasil

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 99385-1113ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

EUA vão enviar tropas à Arábia Saudita após ataques a refinarias
REFORÇO

EUA vão enviar tropas à Arábia Saudita após ataques a refinarias

há 15 minutos atrás
EUA vão enviar tropas à Arábia Saudita após ataques a refinarias
Youtuber indeniza família de menina que morreu ao imitar vídeo viral
INFLUENCER

Youtuber indeniza família de menina que morreu ao imitar vídeo viral

há 45 minutos atrás
Youtuber indeniza família de menina que morreu ao imitar vídeo viral
Polícia faz reconstituição da morte de pastor Anderson, marido de Flordelis
INVESTIGAÇÃO

Polícia faz reconstituição da morte de pastor Anderson, marido de Flordelis

21/09/2019 09:00
Polícia faz reconstituição da morte de pastor Anderson, marido de Flordelis
Sérgio Cabral negocia delação premiada
NEGOCIAÇÃO

Sérgio Cabral negocia delação premiada

21/09/2019 08:40
Sérgio Cabral negocia delação premiada
Menina de 8 anos morre baleada no Complexo do Alemão
VIOLÊNCIA NO RIO

Menina de 8 anos morre baleada no Complexo do Alemão

21/09/2019 08:20
Menina de 8 anos morre baleada no Complexo do Alemão
Últimas Notícias