Dólar Comercial compra R$ 4,3895 venda R$ 4,39 máxima 4,4064
Euro compra R$ 4,7609 venda R$ 4,7627 máxima 4,7714
21 Fev - 21h10
sexta, 21 de fevereiro de 2020
Unique
Vale ITV mobile
ECONOMIA

Dólar volta a cair e fecha em R$ 4,30 com atuação do BC

Bolsa cai 1,11%, depois de divulgação de indicador de atividade

14 Fev 2020 - 22h49Atualizado 14 Fev 2020 - 22h51
Dólar volta a cair e fecha em R$ 4,30 com atuação do BC - Crédito: © Marcello Casal JrAgência Brasil Economia Crédito: © Marcello Casal JrAgência Brasil Economia

A atuação do Banco Central (BC) no mercado futuro de câmbio fez a cotação do dólar norte-americano cair pelo segundo dia seguido. O dólar comercial encerrou esta sexta-feira, 14, vendido a R$ 4,301, com queda de R$ 0,034 (-0,79%).

A divisa operou em queda durante toda a sessão. Na mínima do dia, por volta das 16h30, o dólar chegou a ser vendido a R$ 4,294, mas a cotação voltou a ficar acima de R$ 4,30 nos minutos finais de negociação. A divisa encerrou a semana com queda de 0,84%. Esta foi a primeira vez no ano que a moeda registrou queda semanal. Em 2020, o dólar acumula alta de 7,18%.

Assim como ontem, 13, o BC vendeu US$ 1 bilhão em contratos de swap cambial, que equivalem à venda de dólares no mercado futuro. O BC não anunciou leilões de novos contratos de swap para segunda-feira (17), apenas a continuação da rolagem (renovação) de US$ 650 milhões diários que está sendo feita desde o início do mês.

O mercado de ações não foi influenciado pelo câmbio e teve a sessão mercada pelo nervosismo. Pelo segundo dia seguido, o índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), caiu. O indicador fechou o dia com queda de 1,11%, aos 114.380 pontos. Depois da divulgação pelo Banco Central de que a atividade econômica caiu 0,27% em dezembro, o índice acelerou a queda.

Nas últimas semanas, o dólar tem sido pressionado. Entre os fatores domésticos, está a decisão recente do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de reduzir a taxa Selic – juros básicos – para 4,25% ao ano, o menor nível da história. Juros mais baixos desestimulam a entrada de capitais estrangeiros no Brasil, também puxando a cotação para cima.

No cenário externo, o receio de que o surto de coronavírus traga impactos para a China planeta prejudica o Brasil. Isso porque uma eventual desaceleração do país asiático, o maior comprador de produtos brasileiros no exterior, pode reduzir as exportações de produtos primários. A queda das vendas externas diminui a entrada de dólares no país, também pressionando o câmbio.

Fonte: Agência Brasil

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 99385-1113ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

Em decisão inédita, Anvisa libera terapias alternativas no Brasil
PRIMEIRO DA AMÉRICA LATINA

Em decisão inédita, Anvisa libera terapias alternativas no Brasil

há 34 minutos atrás
Em decisão inédita, Anvisa libera terapias alternativas no Brasil
Em 48 horas, Ceará registra 51 assassinatos
INSEGURANÇA

Em 48 horas, Ceará registra 51 assassinatos

há 45 minutos atrás
Em 48 horas, Ceará registra 51 assassinatos
EUA reabrem mercado de carne bovina in natura para o Brasil, diz ministra
ECONOMIA

EUA reabrem mercado de carne bovina in natura para o Brasil, diz ministra

21/02/2020 19:30
EUA reabrem mercado de carne bovina in natura para o Brasil, diz ministra
Bancos fecham na segunda e terça-feira de carnaval
SERVIÇO

Bancos fecham na segunda e terça-feira de carnaval

21/02/2020 18:58
Bancos fecham na segunda e terça-feira de carnaval
Corpo do ex-PM Adriano Nóbrega é liberado para sepultamento
MILICIANO

Corpo do ex-PM Adriano Nóbrega é liberado para sepultamento

21/02/2020 18:27
Corpo do ex-PM Adriano Nóbrega é liberado para sepultamento
Últimas Notícias