Euro compra R$ 4,2855 venda R$ 4,2896 máxima 4,29
Dólar Comercial compra R$ 3,7648 venda R$ 3,7678 máxima 3,8152
23 Jan - 19h15
quarta, 23 de janeiro de 2019
belem_403
mobile_belem_403
CASO DANIEL

Edison Brittes, suspeito de matar jogador, faz exame no IML

08 Nov 2018 - 21h50
Edison Brittes, suspeito de matar jogador, faz exame no IML - Crédito: Reprodução/ RPC Curitiba Crédito: Reprodução/ RPC Curitiba

Edison Brittes Júnior, de 38 anos, suspeito de matar o jogador Daniel passou por exame de corpo de delito, nesta quinta-feira (8), no Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba. O exame é de praxe – feito sempre que alguém é preso.

Edison Brittes, a esposa dele Cristiana Brittes, de 35 anos, a filha do casal Allana Brites, de 18 anos, e mais três homens estão presos suspeitos de envolvimento na morte do atleta.

O corpo de Daniel, de 24 anos, foi encontrado em um matagal, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, em 27 de outubro.

O Instituto Médico-Legal (IML) apontou, preliminarmente, a causa da morte como ferimento por arma branca. De acordo com a polícia, o corpo tinha sinais de tortura. O órgão genital do jogador foi cortado.

Edison Brittes foi transferido da Delegacia de São José dos Pinhais, onde estava preso, para o Centro de Triagem 1 da Polícia Civil, em Curitiba, por volta das 17h desta quinta-feira.

Ele confessou para a polícia ter matado o jogador. Ao ser interrogado, ele alegou ter cometido o crime porque Daniel tentou estuprar Cristiana.

Allana e Cristiana Brittes também fizeram exame de corpo de delito nesta quinta-feira. Logo em seguida, elas, que também estavam na delegacia de São José dos Pinhais, foram levadas para a Penitenciária Feminina de Piraquara, também na Região de Curitiba.

Morte do jogador

Segundo as investigações, o jogador foi morto depois de uma festa em comemoração ao aniversário da filha de Edison, Allana Brittes, que começou em uma casa noturna, em Curitiba, na noite de sexta-feira (26), e terminou na manhã de sábado (27), na casa da família Brittes.

A polícia disse que Daniel começou a ser espancado na casa e, em seguida, foi levado para um matagal, onde o corpo foi encontrado.

O delegado Amadeu Trevisan afirmou que o jogador estava muito embriagado e não teve como reagir às agressões.

Depoimentos

Edison, Allana e Cristiana Brittes prestaram depoimento à polícia sobre o caso. Eles afirmaram que o jogador tentou estuprar Cristiana. O delegado disse que não houve tentativa de estupro.

Nesta quinta-feira, a família de Daniel, que mora em Minas Gerais, esteve na Delegacia de São José dos Pinhais para prestar depoimento. Familiares informaram que Edison entrou em contato com os parentes do jogador, por telefone, após o crime.

A polícia também ouviu pessoas que estavam na casa da família na data do crime. As testemunhas disseram em depoimento não terem ouvido gritos de Cristiana, pedindo socorro, conforme relataram a própria Cristiana e a família.

As testemunhas também informaram que não viram a porta do quarto do casal arrombada. Uma dessas testemunhas disse no interrogatório que escutou o jogador Daniel pedindo por ajuda, ao ser espancado, e dizendo que não queria morrer.

Fonte: G1

Deixe seu Comentário

Leia Também

Maduro rejeita declaração de Guaidó como presidente
TENSÃO INTERNACIONAL

Maduro rejeita declaração de Guaidó como presidente

há 1 hora atrás
Maduro rejeita declaração de Guaidó como presidente
Paulo Guedes disse que irá zerar o déficit fiscal de 2019
ECONOMIA

Paulo Guedes disse que irá zerar o déficit fiscal de 2019

23/01/2019 18:14
Paulo Guedes disse que irá zerar o déficit fiscal de 2019
Maduro dá 72 horas para os diplomatas americanos deixarem a Venezuela
EM CARACAS

Maduro dá 72 horas para os diplomatas americanos deixarem a Venezuela

23/01/2019 17:42
Maduro dá 72 horas para os diplomatas americanos deixarem a Venezuela
Justiça dá mais 90 dias para PF investigar quem pagou defesa de Adélio Bispo
EM MINAS GERAIS

Justiça dá mais 90 dias para PF investigar quem pagou defesa de Adélio Bispo

23/01/2019 17:40
Justiça dá mais 90 dias para PF investigar quem pagou defesa de Adélio Bispo
Fórum sobre síndromes raras reúne Michelle Bolsonaro, Rosângela Moro e Damares Alves
CONSCIÊNCIA SOCIAL

Fórum sobre síndromes raras reúne Michelle Bolsonaro, Rosângela Moro e Damares Alves

23/01/2019 17:21
Fórum sobre síndromes raras reúne Michelle Bolsonaro, Rosângela Moro e Damares Alves
Últimas Notícias