Euro compra R$ 4,25 venda R$ 4,2528 máxima 4,2606
Dólar Comercial compra R$ 3,7275 venda R$ 3,7292 máxima 3,7378
16 Jan - 13h25
quarta, 16 de janeiro de 2019
belem_403
mobile_belem_403
ECONOMIA DUVIDOSA

Em meio a crise, folha de pagamento de todo o Judiciário cresce R$ 8,1 bilhões

14 Set 2018 - 10h44
Em meio a crise, folha de pagamento de todo o Judiciário cresce R$ 8,1 bilhões - Crédito: Reprodução/Folhapress Crédito: Reprodução/Folhapress

Cresce 11% (ou R$ 8,1 bilhões) os gasto do Poder Judiciário brasileiro com folha de pagamento, entre 2014, ano que marca o início da crise econômica, a 2017. No mesmo período, a economia do país se retraiu 5,6%.

No relatório de Justiça em Números 2018, do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), as despesas com salários, benefícios e penduricalhos na Justiça subiram acima da inflação.

O documento reúne dados das Justiças Estaduais, Federal, do Trabalho e Militar e dos tribunais estaduais, regionais e superiores, exceto o STF (Supremo Tribunal Federal).

Ano passado, a remuneração custou R$ 82,2 bilhões ao país que  bateu recorde. O montante representa 90,5% do Orçamento do Judiciário, distribuído a 448,9 mil funcionários.

Justiça mantém gastos em alta. Veja:


 

O total do Judiciário avançou nos períodos de retração do PIB (Produto Interno Bruto) brasileiro e corte de gastos no governo.


Em 2018, gasto com benefícios e penduricalhos superam salários de terceirizados e estagiários

Em milhares


Há quatro anos, os gastos de ministros, desembargadores, juízes, servidores, trabalhadores terceirizados, estagiários e outros auxiliares da Justiça foram de R$ 74,1 bilhões, atualizados pela inflação.

"A Justiça brasileira tem uma enorme autonomia administrativa e financeira. Diversas decisões sobre gastos do Poder Judiciário são tomadas pelos próprios magistrados, como abertura de concursos e verbas indenizatórias", diz Luciano da Ros, professor do Departamento de Ciência Política da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

Municípios, estados e União têm reduzido o consumo do governo --gastos com salários, serviços e bens que asseguram o funcionamento da máquina pública.

A queda por três anos consecutivos, de 2015 a 2017, em razão da crise, entre outros fatores, tem impacto no crescimento do país.

O PIB teve alta de 0,5% em 2014. Nos dois anos seguintes, houve encolhimento de 3,5%. No ano passado, ao sair da recessão, o Brasil cresceu 1%.

A Justiça, no entanto, aumentou seus gastos totais e com a folha ano após ano.

Os recursos destinados ao pessoal cresceram 4,9% em 2017 em relação ao ano anterior. Em 2016, auge da crise, quando o país se retraía pelo segundo ano seguido, o Judiciário registrou 1,2% de alta com salários, benefícios e penduricalhos.

O Orçamento do Judiciário alcançava 1,2% do PIB há quatro anos. No ano passado, essa relação foi de 1,4%.

"Se isso já é bastante difícil de conceber em tempos de normalidade, em momentos de crise chega a ser uma afronta ao interesse público ter cada vez mais recursos e o PIB cada vez mais comprometido com o funcionamento de um sistema de Justiça tão pouco transparente", diz Luciana Zaffalon, doutora em administração pela FGV, que estuda o tema, e coordenadora-geral do IBCCrim (Instituto Brasileiro de Ciências Criminais).

Com informações do Jornal Folha de S. Paulo

Deixe seu Comentário

Leia Também

Anac reajusta tarifas de aeroportos da Infraero
ALTERAÇÕES NOS VALORES

Anac reajusta tarifas de aeroportos da Infraero

16/01/2019 12:22
Anac reajusta tarifas de aeroportos da Infraero
Brasil e Argentina revisarão tratado para acelerar extradição
MORO AVISOU

Brasil e Argentina revisarão tratado para acelerar extradição

16/01/2019 12:13
Brasil e Argentina revisarão tratado para acelerar extradição
PF prende suspeito de envolvimento na morte de Paca e Gegê do Mangue
ATRÁS DAS GRADES

PF prende suspeito de envolvimento na morte de Paca e Gegê do Mangue

16/01/2019 12:05
PF prende suspeito de envolvimento na morte de Paca e Gegê do Mangue
Ministério do Meio Ambiente suspende todos os convênios e parcerias com ONGs
CORTE PROFUNDO

Ministério do Meio Ambiente suspende todos os convênios e parcerias com ONGs

16/01/2019 11:43
Ministério do Meio Ambiente suspende todos os convênios e parcerias com ONGs
Governo reajusta em 3,43% aposentadoria acima do salário mínimo
REAJUSTE

Governo reajusta em 3,43% aposentadoria acima do salário mínimo

16/01/2019 11:11
Governo reajusta em 3,43% aposentadoria acima do salário mínimo
Últimas Notícias