Euro compra R$ 4,2708 venda R$ 4,2757 máxima 4,2928
Dólar Comercial compra R$ 3,7648 venda R$ 3,7678 máxima 3,8152
24 Jan - 07h46
quinta, 24 de janeiro de 2019
belem_403
mobile_belem_403
POLÍTICA

Ex-procurador-geral de Justiça, Cláudio Lopes é preso no Rio

08 Nov 2018 - 20h36
Ex-procurador-geral de Justiça, Cláudio Lopes é preso no Rio - Crédito: Reprodução/Agência o Dia Crédito: Reprodução/Agência o Dia

O ex-procurador-geral de Justiça do Rio, Cláudio Lopes, que ocupou o cargo por duas vezes entre 2009 e 2012, foi preso na tarde desta quinta-feira no Rio. Ele foi levado para a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica. A assessoria do Ministério Público estadual confirmou que o ex-chefe do MP do estadual foi preso, mas não deu mais detalhes e informações.

Em outubro, quando novos trechos da delação de Carlos Miranda, operador financeiro do ex-governador Sérgio Cabral, foram divulgados pela Supremo Tribunal Federal (STF), Cláudio Lopes foi citado como uma das pessoas supostamente beneficiadas num esquema de corrupção envolvendo a cúpula política do MDB no estado e empresários liderados por Cabral.

O documento, de 6 de março de 2018, está assinado pelo ministro Dias Toffoli, do STF. Miranda disse em sua delação que o ex-governador Sérgio Cabral fez pagamentos ilegais ao ex-procurador-geral de Justiça, Cláudio Soares Lopes.

Carlos Miranda relata que, no fim de 2008, durante a campanha de Cláudio Lopes para procurador-geral, Wilson Carlos, então secretário de governo, e Sérgio Cabral, pediram que ele separasse R$ 300 mil para entregar a Cláudio Lopes. Miranda disse que tal valor deveria ser supostamente gasto na campanha para a eleição de Lopes.

O delator conta que os recursos solicitados foram separados e entregues a Sérgio de Castro Oliveira, o Serjão, um dos operadores financeiros do grupo do ex-governador, para entrega a Wilson Carlos, que ficou encarregado de entregar a Cláudio Lopes.

Claúdio Lopes tomou posse como procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro em janeiro de 2009, prometendo combater a corrupção.

Carlos Miranda contou na delação que mesmo depois de assumir o cargo, Claudio Lopes continuou a receber dinheiro do grupo do ex-governador Sérgio Cabral. Segundo Miranda, o procurador-geral recebia uma mesada.

Miranda afirmou ainda que depois da eleição de Cláudio Lopes, por volta de março ou abril de 2009, Wilson Carlos informou ao delator que deveriam ser pagos R$ 150 mil mensalmente a Cláudio Lopes, o que foi confirmado por Sérgio Cabral.

Com informações do Globo.com.

Deixe seu Comentário

Leia Também

De biquíni, servidora é flagrada usando carro de presos para ir à praia em SP
ACREDITE SE PUDER!

De biquíni, servidora é flagrada usando carro de presos para ir à praia em SP

há 34 minutos atrás
De biquíni, servidora é flagrada usando carro de presos para ir à praia em SP
União Europeia quer eleições livres na Venezuela
MOBILIZAÇÃO INTERNACIONAL

União Europeia quer eleições livres na Venezuela

há 39 minutos atrás
União Europeia quer eleições livres na Venezuela
Sisu chega a ter 500 mil acessos simultâneos
ALTA DEMANDA

Sisu chega a ter 500 mil acessos simultâneos

24/01/2019 06:42
Sisu chega a ter 500 mil acessos simultâneos
Ghosn renuncia à presidência da Renault, diz ministro da França
DETIDO NO JAPÃO

Ghosn renuncia à presidência da Renault, diz ministro da França

24/01/2019 06:37
Ghosn renuncia à presidência da Renault, diz ministro da França
"Tudo o que falamos em Davos temos condições de fazer", afirma Bolsonaro
PROMESSAS

"Tudo o que falamos em Davos temos condições de fazer", afirma Bolsonaro

24/01/2019 06:33
"Tudo o que falamos em Davos temos condições de fazer", afirma Bolsonaro
Últimas Notícias