Euro compra R$ 4,3972 venda R$ 4,3997 máxima 4,4539
Dólar Comercial compra R$ 3,8851 venda R$ 3,8856 máxima 3,9366
25 Mar - 11h05
segunda, 25 de março de 2019
Unique
SEGUNDA FASE

Investigação busca saber como assassinos seguiam Marielle e procura informante dentro da Câmara

Enquanto vereadora se deslocava para compromissos, um suspeito pesquisava seus locais de destino

17 Mar 2019 - 10h22
Investigação busca saber como assassinos seguiam Marielle e procura informante dentro da Câmara -

A fase dois da investigação sobre a morte da vereadora do PSOL Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes já tem um ponto de partida: a Polícia Civil e o Ministério Público do Rio tentam descobrir se um informante, dentro da Câmara Municipal, pode ter revelado os passos dela nas semanas que antecederam o crime. O relatório do inquérito da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital mostra que, 13 dias antes da execução, um dos acusados, o sargento reformado da PM Ronnie Lessa, começou a buscar endereços listados na agenda da parlamentar. A desconfiança se estende até 14 de março de 2018, data da execução, quando parece ficar ainda mais forte a suspeita de que os assassinos tiveram informações privilegiadas sobre os horários de Marielle, da saída do plenário do Palácio Pedro Ernesto até sua chegada à Casa das Pretas, no Centro, para o debate “Jovens negras movendo estruturas”.

Para a polícia, Lessa, suspeito de ter sido o atirador, e o ex-PM Élcio Queiroz, acusado de dirigir o Cobalt prata usado no atentado à vereadora, sabiam que Marielle estava atrasada para o evento da ONG, que fica na Rua dos Inválidos. Ela se atrasou, e seu carro, um Agile, só saiu da Câmara às 18h39m. Acabou chegando ao local às 19h, bem depois do horário marcado para o debate: 18h. Registros de câmeras mostram que o veículo dos assassinos saiu da Barra às 17h24m, exatamente quando Marielle deixou o plenário. Coincidindo com o atraso de Marille, o Cobalt aparece reduzindo a velocidade na Tijuca, e só é visto em imagens gravadas na Rua dos Inválidos às 18h45m. Como não encontraram vaga perto da Casa das Pretas, os criminosos deram uma volta no quarteirão e estacionaram em frente a um beco às 18h58m. Às 19h10m, os suspeitos mudam para uma vaga mais próxima à sede da ONG.

Policiais suspeitam que os assassinos souberam do atraso, já que a intenção era fazer uma campana na porta da Casa das Pretas e seguir a vereadora para cometer o atentado. Para que tudo desse certo, os acusados precisavam seguir um rígido planejamento, e uma mudança de programação, que resultou na chegada tardia deles ao local do debate, só se explica por uma eventual informação de que a vítima estava atrasada. Marielle, Anderson e uma assessora da vereadora, que escapou com vida, seriam abordados, horas depois, pelo Cobalt no Estácio, por volta das 21h. O relatório do inquérito policial revela ainda que, nos dias anteriores, houve uma absoluta sincronicidade entre eventos da agenda de Marielle e pesquisas feitas por Lessa em ferramentas do Google, descobertas por meio de autorizações judiciais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Massacre em aldeia no Mali deixa mais de 130 mortos
TERROR

Massacre em aldeia no Mali deixa mais de 130 mortos

25/03/2019 08:14
Massacre em aldeia no Mali deixa mais de 130 mortos
Edital do Enem é divulgado nesta segunda-feira, 25
CORREEEEE...

Edital do Enem é divulgado nesta segunda-feira, 25

25/03/2019 08:03
Edital do Enem é divulgado nesta segunda-feira, 25
Nova Zelândia cria comissão para investigar atentado a mesquitas
PROVIDÊNCIAS

Nova Zelândia cria comissão para investigar atentado a mesquitas

25/03/2019 08:01
Nova Zelândia cria comissão para investigar atentado a mesquitas
Professores da Escola Raul Brasil, em Suzano, retornam às atividades
O LUTO CONTINUA

Professores da Escola Raul Brasil, em Suzano, retornam às atividades

25/03/2019 07:52
Professores da Escola Raul Brasil, em Suzano, retornam às atividades
Dois meses após tragédia em Brumadinho, Vale tem R$13,65 bi bloqueados
CÓRREGO DO FEIJÃO

Dois meses após tragédia em Brumadinho, Vale tem R$13,65 bi bloqueados

25/03/2019 07:49
Dois meses após tragédia em Brumadinho, Vale tem R$13,65 bi bloqueados
Últimas Notícias