Dólar Comercial compra R$ 4,1131 venda R$ 4,1149 máxima 4,147
Euro compra R$ 4,559 venda R$ 4,5622 máxima 4,601
11 Dez - 10h48
quarta, 11 de dezembro de 2019
Unique
Unique_mobile
BRIGA NA JUSTIÇA

Mãe perde guarda de filho por morar em lugar "insalubre" do Rio de Janeiro

22 Jul 2019 - 20h50Atualizado 22 Jul 2019 - 21h02
Mãe perde guarda de filho por morar em lugar "insalubre" do Rio de Janeiro - Crédito: Arquivo pessoal Crédito: Arquivo pessoal

Uma mãe do Rio de Janeiro perdeu a guarda do filho sob justificativa de que o local onde vive é “insalubre” para a criação de uma criança. Rosilaine Santiagop mora no bairro Manguinhos, na Zona Norte do Rio. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo, nesta segunda-feira, 22.

O pai da criança, de 8 anos, é militar e vive na cidade de Joinville (SC) – o filho não o vê há quatro anos. A mãe trabalha como agente comunitária de saúde há quatro anos, com carteira assinada, e tem casa própria. A criança, que estuda em um colégio particular, mora com ela e um irmão mais velho, de 15 anos, de uma relação anterior. Os parentes dela também moram na comunidade.

Além de usar o local onde Rosilaine mora como justificativa para lhe tirar a guarda, o juiz também alega que o menino necessita de um exemplo paterno, por ser do sexo masculino. De acordo com ela, o casal se conheceu em 2010 na Região dos Lagos. Pouco tempo depois, eles foram morar na casa dela.

Separação conturbada

Em 2014, o casal se separou, após uma acusação de violência doméstica. O caso foi registrado como ameaça. No dia 12 de abril daquele ano, Rosilaine contou que, por volta das 18h, o ex-marido chegou em sua casa e a ameaçou com uma faca. Segundo advogados do pai da criança, houve uma discussão porque ele queria ver o filho e não teve a permissão de Rosilaine. O delegado solicitou uma medida protetiva e a encaminhou para a Defensoria Pública, para que pedisse a guarda da criança.

Primeira decisão anulada

Nesta primeira decisão, o juiz deu a guarda para o ex-marido e, na sentença, afirmou que ela morava em um "lugar insalubre". Porém, ela foi anulada por cerceamento da defesa e violação do contraditório - quando não se dá garantia de ser ouvido.

"Nós entendemos que houve um grave problema de preconceito social, da sentença sem a instrução, sem as alegações finais, sem os laudos psicológicos devidos, sem as oitivas das partes. O juiz acabou entendendo que, pelo fato do pai ser um suboficial da Marinha e residir na cidade de Joinville, em Santa Catarina, ele teria melhores condições do que a mãe, uma trabalhadora como qualquer outra do Rio de Janeiro, que recebe cerca de R$ 2 mil, mas mora em uma comunidade", destacou o advogado da mãe, Leandro Cardone.

A decisão aponta o Rio de Janeiro e a comunidade como "uma sementeira de crimes". O advogado também apontou problemas na atuação da Defensoria, que não teria se manifestado em determinados momentos do processo.

A nova sentença, que voltou para a primeira instância, dada pelo mesmo juiz, manteve a decisão.

Defesa do pai

Segundo os advogados, o pai se mudou para o Rio de Janeiro para “se aproximar mais da criança”.

Na primeira sentença, em 1º de fevereiro de 2017, o magistrado concedeu a guarda ao pai, afirmando que o Rio havia se transformado em uma “sementeira do crime, havendo para todos o risco diuturno de morrer”. O juiz ainda diz que a cidade do pai é menos “criminógena” que a da mãe.

Segundo a defesa, a distância entre Rio e Joinville, que separava o pai e a mãe do jovem, era decisiva para que o juiz decidisse a guarda “em prol daquele que mais vantagem oferece à criança”.

Apesar de a mãe afirmar que fez registro por ameaça contra o pai em 2014, na primeira sentença o juiz diz que “não ficou provado, sequer mediante prova emprestada, que o varão haja ameaçado a vida de Rosilaine”.

Segundo advogados, o pai não está morando em Manguinhos porque é “jurado de morte” pela criminalidade local. Rosilaine afirma que essa alegação não procede, pois ele ficou sozinho na casa onde o casal morava por três dias após ela ter registrado queixa na delegacia.

Com informações de G1.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 99385-1113ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

Brasil sediará reunião dos EUA sobre paz no Oriente Médio
ALINHADO A TRUMP

Brasil sediará reunião dos EUA sobre paz no Oriente Médio

há 18 minutos atrás
Brasil sediará reunião dos EUA sobre paz no Oriente Médio
‘Como fazer que as pessoas gostem de mim’ é uma das dúvidas mais buscadas no Google em 2019
ESTDUO

‘Como fazer que as pessoas gostem de mim’ é uma das dúvidas mais buscadas no Google em 2019

há 43 minutos atrás
‘Como fazer que as pessoas gostem de mim’ é uma das dúvidas mais buscadas no Google em 2019
Brasil vê mídia digital crescer e 331 veículos jornalísticos serem extintos
CRESCIMENTO DIGITAL

Brasil vê mídia digital crescer e 331 veículos jornalísticos serem extintos

11/12/2019 09:00
Brasil vê mídia digital crescer e 331 veículos jornalísticos serem extintos
'Ser expulso por apoiar Bolsonaro é motivo de orgulho', diz Feliciano após ser expulso do Podemos
DECLARAÇÃO

'Ser expulso por apoiar Bolsonaro é motivo de orgulho', diz Feliciano após ser expulso do Podemos

11/12/2019 08:30
'Ser expulso por apoiar Bolsonaro é motivo de orgulho', diz Feliciano após ser expulso do Podemos
Carne continua a subir e China segue como principal comprador em 2020
PREPARE SEU BOLSO

Carne continua a subir e China segue como principal comprador em 2020

11/12/2019 08:15
Carne continua a subir e China segue como principal comprador em 2020
Últimas Notícias