Dólar Comercial compra R$ 4,0539 venda R$ 4,0551 máxima 4,0539
Euro compra R$ 4,7824 venda R$ 4,785 máxima 4,7866
24 Set - 09h28
segunda, 24 de setembro de 2018
JUSTIÇA

Empresa será acionada judicialmente pela PMB para reparar problemas na pista do BRT

15 Set 2018 - 12h00
Empresa será acionada judicialmente pela PMB para reparar problemas na pista do BRT - Crédito: Fernado Sette/Comus Crédito: Fernado Sette/Comus

Um processo licitatório será realizado pela prefeitura de belém para que sejam feitos reparos e manutenções em vários pontos da pista expressa do BRT ao longo da avenida Almirante Barroso e eliminar os transtornos e riscos causados aos usuários do sistema. A Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb) fez o levantamento dos pontos afetados e providencia os procedimentos para executar os serviços o mais rápido possível.

O reparo deveria ser feito pela empresa executora da obra, já que ainda está dentro do prazo de garantia do serviço. Mas, depois de notificar a empresa responsável pela construção e cobrar a resolução dos problemas, sem sucesso, a prefeitura decidiu realizar o reparo por conta própria. Ao todo, serão recuperados dez pontos com defeitos no pavimento de concreto, entre o Entroncamento e São Brás, sendo cinco em cada sentido da via.

Segundo os estudos técnicos da Secretaria de Urbanismo, o problema está na execução da obra e não é de fácil correção, exigindo análise, estudo e projeto para isso. “Agora, vamos trabalhar para resolver, por nossa conta, por meio de um processo licitatório, mas após acionar judicialmente a empresa, vamos buscar reaver o prejuízo aos cofres públicos”, defende o titular da Seurb, Adinaldo Oliveira.

Segundo o secretário, a Prefeitura ajuizará a demanda para responsabilizar a empresa Andrade Gutierrez. Com um histórico de documentos enviados à empresa, Adinaldo afirma que a Prefeitura vem desde o mês de setembro de 2017 notificando e cobrando providências, devido a garantia da obra entregue em janeiro de 2014. “A empresa tem a responsabilidade de reparar qualquer defeito ou problema de execução, no prazo de até cinco anos após a entrega. Já enviamos duas notificações, vários ofícios, reunimos com os responsáveis, que já foram in loco verificar os problemas, e temos estudos da equipe técnica que atestam vícios na obra, mas a empresa foge da sua responsabilidade e ainda não resolveu”, afirma o secretário.

A garantia a que se refere o secretário está prevista em diversos dispositivos legais: artigo 618 do Código Civil, artigo 69 da Lei 8.666, artigo 12 do Código de Defesa do Consumidor e a Orientação Técnica 003, do Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas (Garantia Quinquenal de Obras Públicas). “Como a empresa está se eximindo da sua responsabilidade, teremos que chegar ao extremo de acionar por via judicial, já que ela insiste em descumprir a lei”, finaliza Adinaldo.

Com informações da Agência Belém

Deixe seu Comentário

Leia Também

Polícia prende dupla acusada de esfaquear cabo da PM
ITAITUBA

Polícia prende dupla acusada de esfaquear cabo da PM

há 25 minutos atrás
Polícia prende dupla acusada de esfaquear cabo da PM
PM adota medidas para prevenir conflito na aldeia Tekohaw
PARAGOMINAS

PM adota medidas para prevenir conflito na aldeia Tekohaw

23/09/2018 20:35
PM adota medidas para prevenir conflito na aldeia Tekohaw
Corpo em estado de decomposição é encontrado na mata do Utinga
POLÍCIA

Corpo em estado de decomposição é encontrado na mata do Utinga

23/09/2018 20:07
Corpo em estado de decomposição é encontrado na mata do Utinga
Casal é preso com carro roubado na BR
POLÍCIA

Casal é preso com carro roubado na BR

23/09/2018 19:52
Casal é preso com carro roubado na BR
Homem é morto na Terra Firme
POLÍCIA

Homem é morto na Terra Firme

23/09/2018 17:05
Homem é morto na Terra Firme
Últimas Notícias