Euro compra R$ 4,2798 venda R$ 4,2826 máxima 4,3017
Dólar Comercial compra R$ 3,7797 venda R$ 3,7809 máxima 3,7797
16 Nov - 08h46
sexta, 16 de novembro de 2018
ELEIÇÕES 2018

Dirigente do PP tem assinatura adulterada na ata da convenção que indicou a candidatura de Helder Barbalho

12 Set 2018 - 15h02
Eslon Aguiar Martins - candidato ao cargo majoritário de 1º suplente de Senador da República - Crédito: Victória RibeiroEslon Aguiar Martins - candidato ao cargo majoritário de 1º suplente de Senador da República - Crédito: Victória Ribeiro

Uma das três assinaturas na ata que deliberou aliança entre o MDB de Helder e Jader Barbalho, e o Partido Progressista, está sendo questionada pelo candidato ao cargo majoritário de 1º suplente de Senador da República na chapa de Mário Couto, Eslon Aguiar Martins, do PP.

A denúncia foi protocolada pelo advogado de Eslon Martins no Ministério Público Federal na tarde desta quarta-feira (12). O documento foi destinado para a Procuradora Regional Eleitoral no Pará, Nayana Fadul da Silva (foto).

De acordo com o advogado Eslon Josiel Jr, a assinatura do secretário geral do PP, Emanoel Nazareno de Lima Muniz, foi adulterada na ata do partido realizada no dia 05 de agosto.

 

Para que as alianças aconteçam, é necessário que, durante as convenções, cada partido registre na ata três assinaturas de dirigentes para poder validar a coligação.

“Nós queremos transparência e democracia nessa eleição. Não aceitamos esse tipo de coisas. Estamos fazendo isso pela campanha do senador Mário Couto. Ele não aceita esse tipo de irregularidade e eu como primeiro suplente vim aqui denunciar isso”, disse Eslon Martins.

Quinze partidos fazem parte da coligação “O PARÁ DAQUI PRA FRENTE”, que tem Helder Barbalho como candidato ao Governo do Pará, são eles: MDB / PP / PRB / PR / PSC / PTB / PHS / PMB / PODE / DC / PTC / PATRI / PSD / AVANTE / PSL / PROS.

“Estamos apresentando as provas para que a justiça seja feita. Estamos com tudo aqui, assinaturas falsificadas, pessoas que não estiveram presentes na reunião e estão com o nome assinado na ata, dentre outras irregularidades”, finaliza Eslon.

Assista:

 

Deixe seu Comentário