Euro compra R$ 4,2836 venda R$ 4,2878 máxima 4,2928
Dólar Comercial compra R$ 3,7648 venda R$ 3,7678 máxima 3,8152
24 Jan - 03h40
quinta, 24 de janeiro de 2019
Residencial Marajoara
mobile_belem_403
Notícias

Acordo com EUA para uso da base de Alcântara 'está bem adiantado' , diz ministro

11 Jan 2019 - 21h53Por Da Redação
Acordo com EUA para uso da base de Alcântara 'está bem adiantado' , diz ministro - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

O ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, disse nesta sexta-feira (11) que o acordo com os Estados Unidos para uso do CLA (Centro de Lançamentos de Alcântara), no Maranhão, "está bem adiantado" e terá salvaguardas que respeitarão "cem por cento" a soberania nacional. As declarações foram dadas à imprensa logo após a cerimônia de posse do novo comandante do Exército, Edson Pujol, no Clube do Exército, em Brasília.

O acordo do Brasil com os EUA para uso do CLA é considerado por setores da FAB (Força Aérea Brasileira) como importante impulso para um programa espacial brasileiro que consiga colocar satélites em órbita, técnica hoje dominada por um clube restrito de não mais que dez países.

A FAB quer comercializar bases de lançamento de satélites para países estrangeiros. A atividade seria comparável à com um aeroporto que negocia "slots aeroportuários", ou vagas, para decolagem de aviões. A Força estima que poderia arrecadar R$ 140 milhões por ano apenas com as taxas de lançamento de satélite. 

O plano prevê a criação de uma empresa pública, a Alada, a um custo inicial de R$ 1 milhão, que teria maior agilidade para fechar contratos com estrangeiros, arrecadar taxas e reinvestir o valor no programa espacial, reduzindo a burocracia e contornando a lei de licitações.

Brasil e EUA viveram momentos de maior ou menor tensão ao longo de décadas em torno do programa espacial brasileiro. Telegramas diplomáticos tornados públicos mostram que os americanos pressionaram países e empresas a dificultar o desenvolvimento do programa brasileiro.

Em 2003, no primeiro governo de Luiz Inácio Lula da Silva, o Brasil rechaçou um acordo que havia sido discutido previamente entre EUA e o governo de Fernando Henrique Cardoso pelo qual os norte-americanos teriam áreas de livre trânsito em Alcântara, fora do acesso das autoridades brasileiras. Aspectos como esse, no entender dos críticos do acordo, afetavam a soberania nacional. 

Fonte: UOL

Deixe seu Comentário

Leia Também

Apostador do Rio leva sozinho o prêmio de R$ 37 milhões
MEGA-SENA

Apostador do Rio leva sozinho o prêmio de R$ 37 milhões

23/01/2019 23:04
Apostador do Rio leva sozinho o prêmio de R$ 37 milhões
Polícia prende enfermeiro por estupro de mulher em coma vegetativo há 14 anos
JUSTIÇA

Polícia prende enfermeiro por estupro de mulher em coma vegetativo há 14 anos

23/01/2019 22:39
Polícia prende enfermeiro por estupro de mulher em coma vegetativo há 14 anos
No segundo dia, SISU recebe mais de 910 mil inscrições
VESTIBULAR

No segundo dia, SISU recebe mais de 910 mil inscrições

23/01/2019 22:03
No segundo dia, SISU recebe mais de 910 mil inscrições
Maduro rejeita declaração de Guaidó como presidente
TENSÃO INTERNACIONAL

Maduro rejeita declaração de Guaidó como presidente

23/01/2019 18:15
Maduro rejeita declaração de Guaidó como presidente
Paulo Guedes disse que irá zerar o déficit fiscal de 2019
ECONOMIA

Paulo Guedes disse que irá zerar o déficit fiscal de 2019

23/01/2019 18:14
Paulo Guedes disse que irá zerar o déficit fiscal de 2019
Últimas Notícias