Dólar Americano/Real Brasileiro compra R$ 4,9137 venda R$ 4,9157 máxima 4,9147
Euro/Real Brasileiro compra R$ 5,8689 venda R$ 5,8723 máxima 5,8731
25 Jun - 04h56
sexta, 25 de junho de 2021
LIDER - INFORMATICA - 07,16 E 25/06 - DESK
DO IT - GERVASIO - MOBILE - 15.06 A 15.07 acresc p/ mob na prorrog
DECISÃO

Justiça determina que INSS devolva valores descontados indevidamente

09 Jun 2021 - 04h58Atualizado 08 Jun 2021 - 19h02
Justiça determina que INSS devolva valores descontados indevidamente - Crédito: Fotos Publicas Crédito: Fotos Publicas

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foi condenado a devolver os valores indevidamente descontados em virtude da habilitação tardia de uma segunda parte. A ação envolvia uma pensão por morte, até então direcionada a uma dependente. No entanto, o INSS redirecionou parte do benefício em favor da segunda ré, viúva do segurado. A parte autora requereu o fim dos descontos e também o fim do desdobramento do benefício do qual era a única titular.

Na apelação, a autora sustentou a ilegalidade do ato administrativo de concessão do benefício de pensão por morte em favor da ex-esposa. Isso porque, uma vez que a viúva passou a receber, a partir do requerimento administrativo formulado em 21 de março de 2001, metade da pensão por morte a que a requerente exigia, mesmo a segunda ré, separada de fato, não ter comprovado a dependência econômica em relação ao falecido segurado.

O relator do caso, juiz federal convocado, Murilo Fernandes de Almeida, não considerou ilegal o ato de concessão do benefício à segunda ré. Entretanto, o magistrado ressaltou que os valores indevidamente descontados devem ser devolvidos pela autarquia previdenciária. 
“Quanto à devolução de valores já descontados pelo INSS, considerando-se o entendimento do STF, relativo à impossibilidade de repetição de indébito dos valores recebidos de boa-fé, a título de benefício previdenciário, tais descontos são indevidos, devendo, portanto, ser devolvido o montante descontado ao segurado. Isto porque se deve considerar que os benefícios previdenciários revestem-se de caráter alimentar, especialmente aqueles estabelecidos no valor mínimo”, afirmou.

A decisão foi unânime. Processo nº:  0004223-04.2005.4.01.3800/MG

Fonte: TRF1

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 98469-4559ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

BC adia para setembro de 2022 funcionamento completo do open banking
ECONOMIA

BC adia para setembro de 2022 funcionamento completo do open banking

24/06/2021 23:59
BC adia para setembro de 2022 funcionamento completo do open banking
Vídeo: polícia prende dois suspeitos de ajudar Lázaro Barbosa a fugir
SERIAL KILLER

Vídeo: polícia prende dois suspeitos de ajudar Lázaro Barbosa a fugir

24/06/2021 22:06
Vídeo: polícia prende dois suspeitos de ajudar Lázaro Barbosa a fugir
Polícia bloqueia estrada e coloca mais cães farejadores à procura de Lázaro
SERIAL KILLER

Polícia bloqueia estrada e coloca mais cães farejadores à procura de Lázaro

24/06/2021 20:54
Polícia bloqueia estrada e coloca mais cães farejadores à procura de Lázaro
Brasil tem 18,2 milhões de casos acumulados de covid-19
SAÚDE

Brasil tem 18,2 milhões de casos acumulados de covid-19

24/06/2021 20:25
Brasil tem 18,2 milhões de casos acumulados de covid-19
CMN fixa em 3% a meta de inflação para 2024
ECONOMIA

CMN fixa em 3% a meta de inflação para 2024

24/06/2021 20:00
CMN fixa em 3% a meta de inflação para 2024
Últimas Notícias