Dólar Comercial compra R$ 5,2004 venda R$ 5,2009 máxima 5,2035
Euro compra R$ 5,8109 venda R$ 5,813 máxima 5,8122
02 Jun - 20h36
terça, 02 de junho de 2020
Alcoa
Alcoa mobile
JUSTIÇA

Porteiro que teria mentido sobre Bolsonaro mora em área dominada por milícia

Alberto Mateus ficou conhecido na última semana de outubro, quando o Jornal Nacional divulgou dois depoimentos dele à Polícia Civil do Rio de Janeiro

08 Nov 2019 - 23h11Atualizado 08 Nov 2019 - 23h16
Porteiro que teria mentido sobre Bolsonaro mora em área dominada por milícia - Crédito: Wilton Junior / ESTADÃO CONTEÚDO Crédito: Wilton Junior / ESTADÃO CONTEÚDO

O porteiro que envolveu o nome Jair Bolsonaro no caso Marielle, foi localizado por reportagem da Revista Veja, publicada nesta sexta-feira, 8. Conforme a matéria, o nome dele é Alberto Jorge Ferreira Mateus e mora na Gardênia Azul, bairro em área dominada por milícias na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Ele foi encontrado pelos repórteres do jornal, quando ele apareceu na porta de casa. Quando os profissionais se identificaram, ele declarou, antes de fechar a porta: “Eu não estou podendo falar nada”.

Alberto Mateus ficou conhecido na última semana de outubro, quando o Jornal Nacional divulgou dois depoimentos dele à Polícia Civil do Rio de Janeiro, dizendo que, no dia do assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes, um dos acusados pelo crime, o ex-policial militar Élcio Queiroz, foi ao condomínio em que ele trabalha, o Vivendas da Barra, e lhe disse que ia visitar a casa 58, onde vivia o hoje presidente Jair Bolsonaro.

A versão foi desmentida pelo Ministério Público Federal (MPF). Segundo as investigações, a voz do homem no interfone, não é do presidente.

De acordo com a Veja, o sobrado em que Alberto vive tem dois andares e terraço. Quinze parentes convivem em cinco pequenos apartamentos de dois quartos. No térreo, integrantes da família mantêm uma oficina de carros improvisada.

Já aposentado pelo INSS, o porteiro é um dos funcionários mais antigos do Vivendas da Barra e trabalha lá há treze anos. O condomínio preferiu manter ele afastado do serviço até a poeira abaixar.

Ainda segundo a reportagem da Veja, o porteiro teria envolvido o nome de Bolsonaro em seu depoimento, após sofrer pressões do ex-PM Ronnie Lessa, acusado de dar os tiros que mataram a vereadora.

Fonte: Veja

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 99385-1113ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

Senado aprova em definitivo projeto de doação de refeições não vendida; empresas poderão doar alimentos próprios para o consumo
AGUARDA SANÇÃO PRESIDENCIAL

Senado aprova em definitivo projeto de doação de refeições não vendida; empresas poderão doar alimentos próprios para o consumo

há 21 minutos atrás
Senado aprova em definitivo projeto de doação de refeições não vendida; empresas poderão doar alimentos próprios para o consumo
Alexandre de Moraes assume vaga efetiva no TSE
JUSTIÇA

Alexandre de Moraes assume vaga efetiva no TSE

02/06/2020 18:50
Alexandre de Moraes assume vaga efetiva no TSE
Contratos no exterior para compra de respiradores estão suspensos, diz Wizard
CORONAVÍRUS

Contratos no exterior para compra de respiradores estão suspensos, diz Wizard

02/06/2020 18:30
Contratos no exterior para compra de respiradores estão suspensos, diz Wizard
MEC aprova aulas aos sábados e nas férias após pandemia
ENSINO

MEC aprova aulas aos sábados e nas férias após pandemia

02/06/2020 17:50
MEC aprova aulas aos sábados e nas férias após pandemia
Comissão de Ética da Presidência proíbe Moro de advogar por seis meses
EX MINISTRO

Comissão de Ética da Presidência proíbe Moro de advogar por seis meses

02/06/2020 17:00
Comissão de Ética da Presidência proíbe Moro de advogar por seis meses
Últimas Notícias