Dólar Comercial compra R$ 5,4666 venda R$ 5,4672 máxima 5,4863
Euro compra R$ 6,6523 venda R$ 6,6552 máxima 6,6782
24 Jan - 15h15
domingo, 24 de janeiro de 2021
MAGAZAN INSPIRAÇÃO - DESK- 24/01
MAGAZAN INSPIRAÇÃO - MOB - 24/01
DECISÃO

Sindicato dos Metalúrgicos quer que a Ford reverta demissões

Montadora anunciou fechamento de fábricas no Brasil

12 Jan 2021 - 13h36Atualizado 12 Jan 2021 - 13h50
Sindicato dos Metalúrgicos quer que a Ford reverta demissões - Crédito: Divulgação/Ford Crédito: Divulgação/Ford

O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau) quer que a Ford reveja a decisão de fechar as fábricas no Brasil e mantenha os empregos. Segundo o presidente do Sindicato, Claudio Batista, os trabalhadores foram “pegos de surpresa” com a decisão anunciada ontem (11).

Além da planta de Taubaté, a Ford vai fechar a fábrica de Camaçari, na Bahia. A fábrica da Troller, em Horizonte (CE), vai encerrar as atividades até o fim deste ano. Serão mantidos, entretanto, a sede administrativa para a América do Sul em São Paulo, o Centro de Desenvolvimento de Produto na Bahia e o Campo de Provas em Tatuí (SP). A produção de veículos na região ficará concentrada na Argentina e no Uruguai.

Manutenção de empregos

“O sindicato vai fazer toda luta necessária para tentar reverter essa situação”, disse Batista. De acordo com ele, os 830 funcionários da fábrica em Taubaté tinham estabilidade no emprego até o fim de 2021, devido a um acordo de redução de jornada e salários feito no ano passado, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19). A unidade da montadora na cidade está há 53 anos de atividade.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) evitou comentar diretamente as razões e os impactos do fechamento das fábricas no Brasil. 

"A Anfavea não vai comentar sobre o tema. Trata-se de uma decisão estratégica global de uma das nossas associadas. Respeitamos e lamentamos”, disse a entidade em nota.

No entanto, a associação comentou que os custos de produção têm afetado as montadoras no país. “Isso corrobora o que a entidade vem alertando há mais de um ano, sobre a ociosidade da indústria (local e global) e a falta de medidas que reduzam o Custo Brasil".

Para a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a alta carga tributária é um dos fatores que dificulta a manutenção da produção industrial no país. “A Fiesp tem alertado sobre a necessidade de se implementar uma agenda que reduza o Custo Brasil, melhore o ambiente de negócios e aumente a competitividade dos produtos brasileiros. Isso não é apenas discurso. É a realidade enfrentada pelas empresas”, disse em nota a federação.

Com informações Agência Brasil 

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 98469-4559ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça decide que quem furou fila da vacina no AM não terá segunda dose antes do prazo
AMAZONAS

Justiça decide que quem furou fila da vacina no AM não terá segunda dose antes do prazo

há 2 minutos atrás
Justiça decide que quem furou fila da vacina no AM não terá segunda dose antes do prazo
Ministro da Saúde está no Amazonas e deve ficar o 'tempo que for necessário', diz assessoria
COVID-19

Ministro da Saúde está no Amazonas e deve ficar o 'tempo que for necessário', diz assessoria

há 10 minutos atrás
Ministro da Saúde está no Amazonas e deve ficar o 'tempo que for necessário', diz assessoria
Ministério da Saúde afirma que vacina da Pfizer causaria frustração nos brasileiros
COVID-19

Ministério da Saúde afirma que vacina da Pfizer causaria frustração nos brasileiros

há 28 minutos atrás
Ministério da Saúde afirma que vacina da Pfizer causaria frustração nos brasileiros
Em meio a agravamento da pandemia, Portugal elege novo presidente neste domingo
EUROPA

Em meio a agravamento da pandemia, Portugal elege novo presidente neste domingo

24/01/2021 14:00
Em meio a agravamento da pandemia, Portugal elege novo presidente neste domingo
Ainda sem aprovação do Orçamento 2021, governo deve controlar gastos
ECONOMIA

Ainda sem aprovação do Orçamento 2021, governo deve controlar gastos

24/01/2021 13:42
Ainda sem aprovação do Orçamento 2021, governo deve controlar gastos
Últimas Notícias