Dólar Comercial compra R$ 4,1342 venda R$ 4,1350 máxima 4,1380
Euro compra R$ 4,5728 venda R$ 4,5754 máxima 4,5804
19 Set - 09h48
quinta, 19 de setembro de 2019
Banco da Amazônia FNO 1
prefeitura_09_mobile
POLÍTICA

STF impede Bolsonaro de extinguir conselhos federais criados por lei

Decisão é provisória e vale até o plenário da Corte analise caso definitivamente

13 Jun 2019 - 17h15Atualizado 13 Jun 2019 - 17h14
STF impede Bolsonaro de extinguir conselhos federais criados por lei - Crédito: Nelson Jr./SCO/STF Crédito: Nelson Jr./SCO/STF

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quinta-feira, 13, por unanimidade impedir que o presidente Jair Bolsonaro extinga, por decreto, conselhos da administração federal que tenham amparo em lei.

Durante o julgamento, o plenário se dividiu em duas posições: os que votaram para impedir o presidente de extinguir, por ato unilateral, qualquer conselho da administração pública federal, e os que entenderam que a proibição ficava restrita apenas aos conselhos mencionados em leis.

A decisão é liminar (provisória) e o tema ainda terá de ser discutido definitivamente pelo plenário da Corte em julgamento ainda sem data marcada.

Esta foi a primeira vez que a Suprema Corte analisou uma ação que contesta ato de Bolsonaro como presidente da República.

O caso começou a ser julgado nesta quarta-feira e foi finalizada na sessão desta quinta, com os votos do presidente Dias Toffoli e do ministro Gilmar Mendes.

A ação julgada, apresentada pelo PT, contesta dois dispositivos do decreto assinado em abril por Bolsonaro nas comemorações dos primeiros 100 dias de governo.

O ato presidencial determinou a extinção, a partir de 28 de junho, de conselhos, comissões, fóruns e outras denominações de colegiados da administração pública.

Com os votos de Gilmar Mendes e Dias Toffoli nesta quinta, aderindo à última corrente, o plenário decidiu por maioria impedir, provisoriamente, Bolsonaro de fechar os colegiados previstos em lei.

“Nenhuma dúvida de que o decreto não poderia extinguir colegiados criados por lei”, afirmou Gilmar Mendes nesta quinta-feira. ”O Executivo não pode legislar por decreto”, ressaltou o ministro, para quem “norma malfeita causa confusão”.

Gilmar e Toffoli aderiram ao voto do relator, ministro Marco Aurélio Mello, que já havia sido acompanhado por Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski e Luiz Fux.

Os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Cármen Lúcia e Celso de Mello votaram para ampliar a proibição de extinção a todos os conselhos, mas acabaram vencidos.

Envie denúncias, informações, vídeos e imagens para o Whatsapp do Portal Roma News
(91) 99385-1113ou clique aqui e fale conosco

Deixe seu Comentário

Leia Também

Justiça do Japão absolve 3 ex-executivos da Usina Nuclear Fukushima 1
INOCENTADOS

Justiça do Japão absolve 3 ex-executivos da Usina Nuclear Fukushima 1

19/09/2019 08:20
Justiça do Japão absolve 3 ex-executivos da Usina Nuclear Fukushima 1
PF faz buscas no Congresso em operação que investiga senador Fernando Bezerra Coelho, do MDB
CERCO FEITO

PF faz buscas no Congresso em operação que investiga senador Fernando Bezerra Coelho, do MDB

19/09/2019 08:07
PF faz buscas no Congresso em operação que investiga senador Fernando Bezerra Coelho, do MDB
Câmara aprova projeto que estabelece regras novas para partidos e eleições
MUDANÇAS

Câmara aprova projeto que estabelece regras novas para partidos e eleições

19/09/2019 07:47
Câmara aprova projeto que estabelece regras novas para partidos e eleições
Pagamento do Pis/Pasep aos nascidos em setembro começa hoje
ABONO DISPONÍVEL

Pagamento do Pis/Pasep aos nascidos em setembro começa hoje

19/09/2019 07:27
Pagamento do Pis/Pasep aos nascidos em setembro começa hoje
Aposta única leva R$ 120 milhões da Mega-Sena
DE BRASÍLIA

Aposta única leva R$ 120 milhões da Mega-Sena

19/09/2019 00:04
Aposta única leva R$ 120 milhões da Mega-Sena
Últimas Notícias